Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Bolo ou briga?

Oito e meia da manhã. Friozinho, um ventinho soprando do Guaíba.

O quiosque é pequenininho, o café uma delicia. Tem um pequeno balcão, onde ficam expostos para apreciação e posterior degustação, salgados e doces.

O bolo de cenoura com cobertura de chocolate esta lá acenando todo faceiro para mim.

Ele esta se exibindo mesmo, todo sedutor, com aquela calda moreninha e o corpinho todo amarelo. Tento não olhar, mas é quase impossível.Alguma força maligna me leva sempre a procurar o balcão.

Agora ele está piscando!!! Eu juro não estou inventando não. Está piscando e sacudindo sua maciez bem na minha cara, sim. É o cúmulo da sordidez.

-  Vou querer um bolo. Você quer?  – Pergunto para meu marido.

-  Não... Não estou muito a fim. – É sempre assim, ele nunca quer, e também nunca vê aqueles danados daqueles doces me seduzindo descaradamente. É completamente desmazelado com minha segurança e bem estar.

 - Acho então, que também não vou querer... – Estou decidida agora, segurando com as duas mãos meu copinho de cafezinho.

 - Então tá...- Responde meu marido com um sacudir de ombros, pouco se lixando .Ele dá dois passos em direção a saída.

-Mas se bem que agora...com este cafezinho...- Olho, implorando ajuda para tomar uma decisão, contando com ele para me arrancar da frente do balcão e me arrastar porta afora.

Desta vez ele só me olha, um pouco mais que entediado, Pelo o que conheço dele, depois de treze anos juntos, um inicio de irritação.

-Não, não vou querer. - me viro e saio para a rua. Ufa , decisão tomada.

Nosso carro está em frente à porta e meu marido encostado nele tomando seu café.

- Acho que depois vou ficar com fome....-  Na verdade estou pensando em voz alta..O bolo maldito continua ao alcance do meu olhar e eu desta vez estou quase a ponto de cometer um homicídio. Minha intenção bem clara e ir até lá e detonar com ele.

- Não . Não , não vou querer.

Esta última frase acompanhada de veementes sacudidas com a cabeça, como se fosse necessário dar todas as ênfases de expressões para garantir a mim mesma que havia entendido. O bolo que fique lá!!!

- Moça?? Vou querer uma fatia de bolo. – Estou não sei como, estou parada em frente ao caixa, com a bolsa aberta, vasculhando a bagunça atrás da carteira. - Para viagem!

 

 

 

 

 

 

 


Simone Mottola
Enviado por Simone Mottola em 19/11/2007
Reeditado em 19/11/2007
Código do texto: T743433

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Simone Mottola
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 47 anos
193 textos (20994 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/08/17 21:53)
Simone Mottola