Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Pão, mortadela e Tubaína

E era esse o lanche preferido de dez entre dez famílias aqui do interior.
Tinham algumas variações, em relação ao tipo de pão. O pão as vezes era francês, as vezes era de massa fina, as vezes era o pão doce, ou de torresmo - mas a mortadela e a Tubaína eram insubstítuiveis.
Como a minha família é de Belém do Pará, nós gostávamos mesmos era de um belo bijú de tapioca, com manteiga e café, ou faziamos a versão doce do bijú de tapioca, com coco.

Quando aqui chegamos, tudo era novidade (claro!). Não entendíamos a princípio, por exemplo, o que era a "mistura", prá gente tudo era comida, lerdo, prá gente era "blam blam blam", lagartixa sempre foi "osga", a baguete era "cacete" , prostituta era "fiti", e por aí vai.

Meu pai, militar da aeronáutica, foi transferido para o
CTA de São José dos Campos, e aqui acabamos sendo criados.
Na escola, o sotaque era destaque, nós éramos os "nordestinos"
(o povo confunde Norte com Nordeste até hoje), os nordestinos altos, alegres, que gostavam de esportes, e que falavam de um jeito dificil de entender. O que na verdade eu acho esquisito, pois mesmo as pessoas com pouco estudo na região do Pará e do Amazonas, naturalmente tem o português muito bem dito, bom, se bem que sotaque é sotaque, e lagartixa prá osga...
E ainda tinha a saudade de um bom doce de bacuri, uma pupunha de final de tarde, um açai com farinha de tapioca, um pato no tucupi no almoço, e um imenso pirarucu nos dias de domingo.
Não era comum na época que viemos prá cá, as "Casas do Norte", como as que tem hoje em dia - então ficava cada dia mais dificil naturalmente, mantermos nossos antigos hábitos alimentares.
Mas, com a descoberta do pão com mortadela e tubaína, nossas tardes mudaram.
Prá gente, era um evento (aliás em casa, tudo sempre era um evento), a mesa posta, com aquela coisa nova que era a mortadela e a Tubaina - tinhamos imenso prazer em sempre termos algum amiguinho em casa, e sempre tinha, pois eram três meninos e três meninas, eu sou a sexta, então, molecada é o que não faltava, e a minha mãe preferia receber do que deixar os filhos irem na casa dos outros, e sabe né...mãe é Mãe.
Podia ter queijo, presunto, bolo, rosca, o que fosse, mas o legal mesmo eram os três, era o que nos deixava feliz e familiarizados com a cidade, com a região. E assim, mantivemos esse hábito, por anos a fio. Mas a vida muda, os filhos crescem, vão estudar em outras cidades, casam, tem suas casas, seus filhos,seus maridos e esposas.

Que bom que existe a "visita", pois sempre que podemos, quando nos encontramos, a mesa, por mais farta que possa ser no café da tarde, sempre tem pão, mortadela, tubaína, conversa fiada, vulga "potoca", e graças a Deus, muita risada!!!


OBS: Tubaína é um refrigerante a base de guaraná, com o sabor bem mais adocicado, e infinitamente mais barato!
Além de Tubaína, é apresentada também como; Maçazinha, Guaranita, Guaraná Jesus, Campeão, Brasileirinho, e outros nomes que eu desconheço. No final da década de 90, ganhou um espaço comercial tão grande, que chegou a incomodar o mercado das "Colas".


Vanda Sales
Enviado por Vanda Sales em 21/11/2007
Reeditado em 11/01/2008
Código do texto: T745882

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Vanda Sales
São José dos Campos - São Paulo - Brasil
37 textos (7033 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/08/17 19:43)
Vanda Sales