Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

INDIGNAÇÃO

   Até onde vai o descaso e a maldade do ser humano?
   Não acredito que um homem colocado a frente de um distrito policial, pago e instruído para visar o bem comum, cometa a barbárie de ignorar os direitos humanos, e os preceitos virtuosos  dos sacramentos instituídos por Nosso Senhor Jesus Cristo.
   Sinto-me indignada e tremendamente ferida pelo caso da jovem colocada no meio dos marginais, para ser devorada por eles como um pedaço de carne suculento. Os abusos que ela sofreu são a prova da desumanidade, da ausência de Deus no ser humano, e com o descaso das autoridades com a sociedade em sua totalidade.
   Estivesse eu com o poder nas mãos, mediante a revolta que me consome, a cada segundo que isso passa em minha mente, me martirizando, fazendo-me chorar e nutrir um sentimento que eu não desejaria conhecer, eu odeio...sinto ódio desse delegado insano , demente e crudelíssimo.
   Diante dele eu perderia a minha razão tomando uma atitude agressiva, mesmo sabendo que violência gera violência, não sei se eu conseguiria me segurar.
   Será que uma pessoa treinada, qualificada para impedir atrocidades, comete um crime desse e não é punida?
   Porque...O que... leva um homem desses e os demais , seus cúmplices, a agirem assim.
   Tantos mais já foram esquecidos, tantos outros serão lembrados, muitos ainda surgirão... e eu me pergunto: Deus até quando?
Até quando esses ditos poderosos vão continuar matando, roubando, ultrapassando limites? Prendem...batem...torturam...mutilam...por uma galinha, por um  pacote de leite. E os bilhões que os grandes roubam...e as maracutaias que executam no mundo das drogas? E a prostituição e o suborno, as propinas para abafarem casos inacreditáveis?
É... não é fácil consertar tantos erros, mas é necessário rever os valores,os direitos e deveres de cada ser humano, mediante cada situação de vida.
   Nada mudará sem uma estratégia de limpeza geral.
  Essa infeliz criatura, foi mutilada. Tiraram-lhe o direito de sorrir, de acreditar no amor, no bem querer um do outro. E a sua  pobre cabecinha...como será que ficou?  O que se passa no seu íntimo? Quantas perguntas sem respostas pairam dentro do seu ser destruído. Sonhos que   não serão realizados...dores que percorrem seu corpo e sua alma  cicatrizada.
   Eu já nem digo mais, qua a justiça seja feita, porque nesse mundo  sem lei, a injustiça , a impunidade imperam. Nesse mundo atual  poucos tem vez e voz a favor da dignidade humana.
   Eu digo sim, que dentro de mim há uma centelha de fé que ilumina o meu ser, eternizando  a minha esperança de que Deus há de confortar aquela criatura, e dar-lhe a força para aceitar-se como desígnio de Deus.
   Deus escreve certo por linmhas tortas, para nos mostrar que em suas mãos podemos ensinar e revelar segredos. Somos seus intrumentos e mesmo no sofrimento e na dor que a nós parece gigantesca demais para suportarmos, encontramos  a força para continuar trabalhando  na obra divina. Que mais esse exemplo do poder do homem dominado pela ausencia de Deus, venha a tocar bilhares de corações, que trilham caminhos tortuosos.
   A cada atrocidade dessas que  chega  à mim, uma metade minha falece e a outra evolui. Pego-me em oração e em contato  com Nosso Senhor Jesus Cristo, entro em comunhão e entrego meu coração para apaziguar minha alma  machucada e triste.
   
milizinha
Enviado por milizinha em 28/11/2007
Reeditado em 19/05/2011
Código do texto: T756133

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
milizinha
Rio do Sul - Santa Catarina - Brasil, 53 anos
638 textos (97437 leituras)
1 áudios (274 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/10/17 11:40)
milizinha