Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Começar de novo...

                             
                               
                               Começar de novo....

         Começar de novo é título de música, de novela, de peça teatral, e também aparecem nos livros de auto-ajuda. Constitui-se no reinício de idéias, é realmente, começar outra vez. Talvez, tentando recuperar uma vida perdida em sonhos, em desejos, em atitudes, em realizações. Uma vida perdida no tempo, simplesmente, perdida.  Como recomeçar quando se é pego pela surpresa, desastrosa e inesperada. Como recomeçar quando se tem dor, fome ou se está sujeito a doenças e a uma solidão devastada por desconfianças Como tirar forças da destruição, da saudade, da aridez da falta de amor que nos consome diariamente. Do fim inusitado do amor que acreditávamos infindável... Perene... Inesgotável.  Como recomeçar...... Como começar de novo....

         A natureza humana é estranha, talvez ilógica e imprevista. Nota-se no mundo uma enormidade de tragédias, uma após a outra, sem a mínima trégua, entretanto, mesmo assim o homem continua na batalha do recomeço. Perdemos um emprego, reclamamos, xingamos, porém, num belo dia, viramos a página e partimos para uma nova jornada, cheios de sonhos e expectativa. Está frio. Muito frio... Colocamos agasalhos e tentamos sair de casa para viver. Chove muito, a casa despenca, inunda. Brigamos, xingamos Deus, o mundo ingrato que nos colocou naquela situação. Porém, num dia qualquer, o sol brilha e recomeçamos a viver.

        Conhecemos alguém, surgem às afinidades, o aconchego, o carinho, a poesia do amor aparece em nossas vidas... Então ficamos de rolo... O rolo aumenta... O sexo é ótimo.. A companhia é maravilhosa... Não podemos viver longe da sua voz e do seu corpo. Vira namoro... Namoramos, e num belo dia, nos casamos acreditando que o amor será para sempre...  O para sempre é tão longe....  Um dia... Um dia surge o cansaço, o descaso, as cobranças... O amor... Aquele amor lírico, inesgotável acaba... E nos perguntamos quando foi que acabou? Em que horas... ?Em que dia...? Em que semana....?  Em que mês...? Em que ano...? Quais foram às marcas deixadas pelos caminhos que não identificamos, será que  os passarinhos pegaram as pistas esquecidas do nosso amor perdido. Como recomeçar.....

             O casamento desmoronou, despencou foi descendo ladeira abaixo, deixando rastros de um amor doce e tortuoso. Eras a minha paz e o meu tormento, o meu sossego era te ver chegar, eras um dia iluminando, rastreando brilho pelos caminhos da vida. . Quantas vezes, eu te avistava ao longe, o coração batia feliz, pois o via chegando aos poucos...  Nessa época, tu me amavas de verdade, hoje, sei que sou somente uma obrigação, uma carga, um cansaço que não sentes mais nada. Não queres partir, pois não tens coragem de ir, por medo, covardia... Sei lá porque não vais.... Eu sei... Não sou nada pra ti, não me olhas mais faz tanto tempo, teus carinhos e teus elogios fazem parte de passado remoto. As janelas se fecharam... O sol não brilha faz tanto tempo. A natureza perdeu a cor, o brilho, a beleza natural que possuía quando eu estava ao teu lado.

      Porém, num dia qualquer, o sol e a claridade da lua invadiram as frestas das janelas, as portas se abriram para a vida... Surge uma roupa nova, o sorriso se abre... um beijo caliente nos invade... A vida recomeça como num ciclo natural das águas. Então se dá o recomeço. Isto é que nos faz diverso, nos faz gente. Somos capazes, inteligentes, astutos... Contudo muitas vezes cometemos muitos erros, vários deles até infantis, ainda assim sucumbimos a eles quase diariamente.. Tudo isto parece irracional, mas não é, existem algumas explicações que fogem ao racional, somente o a emoção justifica, na maioria das vezes, os nossos atos. Mas, são exatamente as nossas ações coerente ou incoerentes que nos torna humanos e nos diferencia dos seres inanimados, pois estamos  sempre recomeçando....


     
                                         20/10/2007


Marisa Piedras
Enviado por Marisa Piedras em 29/11/2007
Reeditado em 10/02/2008
Código do texto: T758141
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Isa piedras-). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Marisa Piedras
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil
310 textos (40992 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/17 18:38)
Marisa  Piedras