Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ser anjo pode ser mais difícil que parece

Ser anjo não é fácil, ainda mais quando o protegido não acredita em nós. Estava tranquilo curtindo o meu descanso musical no centro de conversões dos que ficaram no meio de uma passagem confusa. Tu não sabes qual é, pois quando passou por lá ainda era um ser inconsciente. Mas vou descrever como é.
Quando os humanos morrem, todos passam por lá. Quando almas preparam-se para tomar corpo humano, também passam por lá. São dois tipos de almas que passam todas juntas por um canal longo e pouco estreito.
Assim fica fácil se perde e acaba entrando em pequenas aberturas que tem em algumas curvas. Melhor duas destas curvas têm esta abertura. E em uma delas, se tu entras vira anjo do bem e em outra viras anjo do mal.
Então, percebes que é muito fácil ser monstro ou mocinho? Depois que entrei em meio ao tumulto, no meio de todos, fui empurrado para uma abertura e virei anjo, do bem, melhor.
Fiquei encarregado de proteger uma moça muito estranha por sinal. Ela pecava e gostava de pecar, lhe dava prazer, isto no começo. Depois virou escrava do pecado e o mesmo lhe machucava.
Eu estava junto dela, protegendo a e ela procurando trabalho para mim e para ela. Era toda a madrugada na ativa, ruas escuras e lugares de pessoas estranhas e maldosas. Eu lá, firme e forte.
Tomava de conta dos caras que a pagavam. Ela sentia uma obrigação em fazer aquilo e também medo sentia dor, nojo, mas tinha que parecer muito bom. Eu já não aguentava mais aquilo, sentia que compartilhava daquilo sem poder fazer nada. Resolvi agir.
Deixei-a entrar em contato com um estranho doente, calma era apenas uma gripe que nem ele sabia ao certo que tinha, ela muito gripada ficaria ao menos uma noite em casa.
Foi assim que ela ficou, reclamando e maldizendo a minha proteção, eu não era diretamente afetado, pois ela nem acreditava em mim. Resolvi agir e quando ela acordasse no dia seguinte encontraria um novo caminho.
A manhã chega linda e eu cansado. Ela sai para ir à casa de uma amiga, passa em frente a uma livraria, resolve entra só para ver, não trazia dinheiro. Lá um homem ao vê-la, logo se apaixona, meu amigo cupido deu uma forcinha, ela também sentiu um sentimento forte por ele.
Ambos estavam com um livro chamado, “Um veneno chamado passado”, não demorou muito, se tratavam como gente. O homem era bem de vida, trabalhador e a levou para trabalhar com ele, vendedores. Assim ela deixou de trabalhar durante a madrugada em lugares horríveis e ainda sem ganhar muito, começou a viver verdadeiramente, agora ao lado de um homem que gosta dela de verdade.
Um dia em meio ao namoro dos dois, o homem pergunta para minha protegida se ela acredita em anjos, porque ele acredita, ela disse que não. Acredita em destino. O que eu achei? Tudo bem, também posso ser chamado de destino.

https://www.clubedeautores.com.br/book/131090--VERDADES_CRONICAS
Hênio Delfino
Enviado por Hênio Delfino em 01/12/2007
Reeditado em 24/06/2012
Código do texto: T760775

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Hênio Delfino
Planaltina - Distrito Federal - Brasil
178 textos (151609 leituras)
10 e-livros (1833 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/17 12:28)
Hênio Delfino