Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

IMPRESSÕES DE NATAL

Eu não gosto de natal, nunca gostei. Odiava ter que ficar esperando feito imbecil o tal do Papai Noel tocar o sininho à meia-noite. Eu sabia que aquele velho barbudo e barrigudo era um daqueles bêbados que, sorrateiramente, às 23h45m sumia do pedaço. Era sempre assim: um tio qualquer fingia que estava com sono – coisas que dizem pra enganar crianças – e saia de fininho para o quarto dos fundos da casa. Como se tratava de um membro-bebum do "bloco dos tios beberrões", a gente nem se importava muito. Ficávamos ali, ansiosas e bestamente esperando o Godot, digo, o Papai Noel. À meia-noite qual a nossa supresa? “Ho-Ho-Ho dling dling dlin dling (barulho de sino vagabundo, comprado na 25 de março) Feliz Nataaaal”. E aparecia aquela figura jocosa, com uma calça horrorosa, toda torta, o cinto com a fivela pro lado contrário, um saco desbotado e uma barba que provocava coceira só de chegar perto. A barriga, afff, nem se fale. E o suor, então, ia escorrendo, da nuca ao rego, passando pelo meinho das costas. “Calor do interior é foda” – juro que ouvi aquele filho da puta de barbas falando exatamente isso num dos natais. Nunca vi Papai Noel mais desengoçado. E com barriga de cerveja! Enfim... era sempre a mesma palhaçada. Mas eu era criança, e ainda fingia que acreditava em Papai Noel.


Sampa City, 04 de Dezembro de 2007.
Bruna Pattiê
Enviado por Bruna Pattiê em 04/12/2007
Reeditado em 04/12/2007
Código do texto: T764603

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome da autora - Bruna Pattiê). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Bruna Pattiê
São Paulo - São Paulo - Brasil, 35 anos
150 textos (13273 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/17 05:38)
Bruna Pattiê