Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ENXAQUECA

Olhos miúdos.
Luz, nem pensar.
Não é mal e nem é privilégio das mulheres, que sofrem tanto disto.
É de nós todos.
E quando ela vem...
É sorrateira. Vem chegando de mansinho. Aloja-se ali. Entre os olhos é o lugar preferido. Às vezes, vem pelas têmporas. Outras, pela nuca. Mas, quando chega acabou-se o dia.
Cada um busca o seu refúgio.
Nem sempre o remédio resolve.
O quarto escuro e o silêncio são grandes companheiros.
Quando não os temos disponíveis e precisamos trabalhar, o humor vai embora; a cara fica amarrada e todos pensam que estamos de bode, de mal com o mundo, mal resolvidos.
Que nada, quem não tem não sabe o que é uma enxaqueca.
Entendo você que a recebe de quando em vez ou  quase sempre.
Não é mole não.
Ela é a TPM de nossa cabeça.
Faz uma bagunça danada, derruba mesmo.
Estou assim agora.
Remédio já tomei, dois.
Nada.
Quarto escuro já tentei.
Nada.
Então, escrevo para um leitor amigo que pode estar ou não com uma dessas ou daquelas...
Sejamos cúmplices então.
Que fazer.
Mas, não faz barulho não....ai...
jose antonio CALLEGARI
Enviado por jose antonio CALLEGARI em 13/12/2005
Código do texto: T85589
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
jose antonio CALLEGARI
Niterói - Rio de Janeiro - Brasil, 53 anos
475 textos (25267 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 02/12/16 20:27)