Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ANALISANDO RELACIONAMENTOS AMOROSOS

   
Para que relacionamentos amorosos, ou mesmo apenas de amizade, sejam gratificantes, e tenham boa durabilidade, há que se observar adequadamente o prazo de validade, que regulamenta essa parte importante de nossa vida.
O que pode ser considerado como prazo de validade? Ora, a observância de algumas regras que sempre devem reger tudo que se refira a relacionamentos pessoais, particularmente os amorosos, pois estes envolvem nosso emocional, assim, são muitos os perigos que cercam os desentendimentos na área afetiva, e para evita-los, ou minimiza-los ao menos, devemos aprender a conhecer os  limites pessoais, para saber respeitar as individualidades.
É exatamente por aí. Isso se aplica muito nos relacionamentos amorosos ou mesmo de amizade.  Temos que saber respeitar as individualidades, sem contudo  ceder à personalidade da parceria.  Cada qual tem sua maneira de enfocar a vida, e precisamos saber respeitar limites, pois  sempre existe um ponto até o qual pode-se chegar sem que represente uma mudança de personalidade.  Amoldar-se,  entender a alma de nossa parceria é uma coisa.  Ceder totalmente, ou exigir cessão do outro lado, é outra coisa.
É um limite que não pode ser ultrapassado. Quantos desentendimentos, e que acabaram originando em separação aconteceram por esse motivo. Há que se ter muita sensibilidade para detectar esse ponto.
É muito perigoso forçar a barra além do limite.  Se o parceiro (a) ceder, poderá ficar muito tempo com aquela frustração dentro de si, até o dia que em que explode, e aí ninguém segura mais.  O segredo está em observar tais detalhes.  Para tanto, exige-se de ambas as partes, ponderação e diálogo.  Aparar arestas é melhor do que afiar garras...
Um relacionamento pode ser comparado às engrenagens de uma máquina. Se as duas rodas denteadas não se encaixarem harmoniosamente, haverá atrito.  Assim, são os relacionamentos, de todo e qualquer tipo.  É necessário que se procure "encaixar" as rodas.  E isso tem que ser feito naturalmente.  Não pode ser forçado, senão os dentes poderão se quebrar, emperrando a engrenagem.  Isso representa a harmonia da parceria, que,  uma vez quebrada, dificilmente se conserta.
Por essa razão que não se pode forçar uma mudança de personalidade, pois o ideal é que  ambas as personalidades se amoldem.  Cada qual é cada qual.  Podem ser feitas as adaptações necessárias para uma boa convivência, desde que ambos cedam um pouco, permitindo esse amoldamento.
Críticas, chamadas à razão, reclamações, tudo enfim que possa originar uma discussão, deve ser bem muito bem pensado antes de se começar.  Deve-se tentar conversar com ponderação, ao invés de gritos e ameaças.  Principalmente, devem ser evitadas trocas de insultos, e muito menos agressão física.  Se deixar chegar a esse ponto, fatalmente será o fim de tudo, pois acabará o respeito, a amizade, o carinho. E é muito triste ver relacionamentos, principalmente de algum tempo, esboroarem-se apenas porque limites não foram observados, e a coisa toda degenerou.  Vamos pensar direitinho antes de partir para insultos.  Nunca podemos nos esquecer de que violência fatalmente irá provocar uma reação igualmente violenta.
E uma das boas maneiras de manter-se a paz, é tendo UM LINDO DIA.
 
Vamos manter a paz,
Para não matar a Paz...
Apenas disso, seja capaz...
 
Marcial Salaverry
Enviado por Marcial Salaverry em 30/03/2005
Código do texto: T8671
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Marcial Salaverry
Santos - São Paulo - Brasil, 77 anos
19843 textos (1961680 leituras)
3 áudios (855 audições)
6 e-livros (2134 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 22:39)
Marcial Salaverry