Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

BOM SENSO

Não quero ter filhos. Não gosto de crianãs. Gosto dos filhos de meus amigos. É diferente. De crianças passam a "filhos de amigos"; tornam-se meus filhos do coração.
Acho que os exemplos que tenho visto de pais modernos só fazem reforçar meu desejo de não querer filhos. Meu marido sabve disto desde que nos conhecemos. Não quero ter filhos. Se os tivesse, seriam neuróticos por culpa materna.
De tantos pais, apenas dois ou três casais me são de bálsamo diante de tanta inteligência curta, falta de bom senso e ausência de cuidado criativo. Seja até mesmo para o simples ato de "plantar" um guarda-sol na areia da praia.
Onde já se viu um casal maduro, uma babá e um par de crianças pequeninas, na praia, sem nenhum brinquedo, nem uma ínfima pazinha de plástico colorido? Solição: babá correndo de um lado pro outro atrás da esperta garotinha inquieta pela ociosidade sob o sol escaldante e que, enfim, encontra num pedaço de areia outro par de sua espécie e com alguns objetos coloridos à sua volta. Sem titubear, pára ali e fica, sendo bem recebida pelos seus patrícios.
Desfaz-se a paz, então. A mãe, de pernas pra cima e com seu copo de cerveja na mão, grita pela babá para que leve a pobre garotinha rica de volta à mesa onde seus pais fartam-se de lagostas e camarões XG e loiras geladas sob a barraca de praia. A menininha contrariada obedece, sem poder brincar com outras crianças como ela. Por quê? Pergunto-me. Por quê? Certamente a garotinha fez-se a mesma interrogação na pequena cabeça.
Ao lado, três mulheres julgando-se jovens adolescentes, deitam-se ao sol em tecidos de última moda e minúsculas vestimentas de mesmo naipe. Devem ter se esquecido das três crianças que trouxeram a tira-colo, sem protetor nem hidratante nem sombra contra o sol nem água pra refrescar - a não ser a do mar, que lhes é salgada demais! Ao invés disso tudo, o famoso refrigerante preto é oferecido a um dos três rebentos saindo vitorioso em detrimento da saudável água de côco vendida logo adiante...
Ah, Quem me dera ver pais coperentes e sensatos, munidos de bom sensop e criatividade, chegando à praia cedinho pela manhã, trazendo seus baldes de limpeza transformados em depósitos eficazes de brinquedos variados. Junto, não uma babá e sim muitos guarda-sóis - a garantia de sombra permanente à prole que, por sua vez, vem com chapeuzinho na cabeça, maiô e camiseta, garantidos sua hidratação e alimento pela cesta térmica recheada de frutas frescas e muita água mineral!
Estes pais não trazem sobre a mesa loiras geladas. Ali, peixes da estação e muita água de côco, alegria e sentimento de unidade familiar, risos e carinhos públicos.
Ah! É ápenas sonho num mundo moderno onde o bom senso cada vez é pior e um jato de areia põe fim às minhas elucubrações... Um menino correndo atrás de um ambulante vendedor de queijos derretidos passa por mim pisando sobre minhas coisas.
 



ana K
Enviado por ana K em 30/12/2005
Código do texto: T92439

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Ana Karina Dutra - www.kaka-anak.blogspot.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
ana K
São Paulo - São Paulo - Brasil
219 textos (15875 leituras)
3 e-livros (265 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 14:37)
ana K