CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

O QUE É SER MÃE!

                                             Mãe!

O que é ser mãe? É conceber, amamentar, dá a mão ao filho ante aos primeiros passos, ensiná-los as primeiras palavras, colocá-los na escola, segurar sua mão diante do portão do colégio lhe transmitindo segurança no primeiro dia de aula. Cuidar desse filho por anos até a adolescência, quando esse se achando independente, vê na adolescência a oportunidade de se rebelar, julgando-se dono da verdade; Engano!

Acaso ser mãe também é ser permissiva temendo a rejeição do filho? Mas até onde uma mãe deve ceder, temendo contrariar o filho? Será que passividade de mais não é um erro, ou mesmo omissão?

Ser mãe é tarefa árdua que exige mais que amor, pois é como se em seguida ao parto lhe fosse imputado um contrato vitalício, onde o único beneficiário fosse o filho, sendo que à mãe só restasse os trabalhos, a culpa se esse fracassa no decorrer da vida.

Raros são os filhos que neste dia em especial agradece sua mãe por uma vida de dedicação, por cada instante que lhe fora doado desde a pregressa infância, sendo que alguns sequer se lembram das noites em claro que estas passaram devido às cólicas, dores de ouvido, febres altíssimas, coisa de criança! Hoje estas mães ao se recordarem daquelas noites em que passaram velando o sono ou mesmo ninando o recém-nascido sentem saudades, pois outrora elas ainda exerciam sobre estes algum poder, fato já esquecido! Hoje recorda saudosa daqueles tempos e assim sofre ao vê o filho passando por experiências difíceis, mas que para eles nada mais são que diversão que gozarão ao longo de suas vidas e nada mais que isso. Noitadas afio em festas movidas a muito álcool e tabaco, drogas supostamente leves, mas que a longo tempo causam danos irreversíveis, um sofrimento a mais para estas mães que não têm como combater ou coibir este tipo de diversão que seus filhos adotam nos dias de hoje, pois se o faz são tarjadas de caretas, ditadoras, autoritárias. Mas se calam sofrem no futuro pela omissão, pois podiam ter dito não, com firmeza e mesmo correndo o risco de serem mal interpretadas estariam preservando o futuro de seus filhos, mesmo que a princípio não houvesse reconhecimento.

Ser mãe é abdicar-se de ser mulher, de ter vida própria e restar-lhe apenas preocupação! Mas ao mesmo tempo este um prazer único e indescritível, talvez por isso só as mulheres podem ser mãe, devido sua sensibilidade e capacidade de entrega.

Já os homens não têm esta mesma capacidade, portanto estes jamais terão o privilégio de gerar uma vida ou esse intenso e inexplicável prazer de ser mãe.

Mãe, este ser supremo e inigualável, criado por Deus, com sentimentos incapazes de serem compreendidos e recompensados por nós seus filhos, já que ás vezes as magoamos, hora sem querer, hora sem esperar! É como se não nos importássemos em demonstrar nossa gratidão e dívida por existirmos, por termos esse privilégio de respirar, de chorar, sorrir, cantar, entre tantos outros prazeres a nós proporcionados por termos nascidos. Por isso hoje eu me propus a escrever esta pequena mensagem para homenagear a minha e a todas as mães, uma maneira que achei de agradecê-la por eu existir.
 Olhos marejados, coração tomado por um sentimento de gratidão, e amor, reverencio todas as mulheres e em especial minha mãe, que como tantas outras que encontram dificuldades para cuidar, vestir, alimentar e educar seus filhos, mulheres de fibras que mesmo tomadas pelo desespero não desiste deles, nem diante do mais difícil obstáculo, muito pelo contrário, são nesses momentos que mostram todo o seu amor e proteção.

Por isso não poderia deixar de amar toda mulher e aproveitar para demonstrar meu amor nesta data, embora estas deveriam ser lembradas todos os dias, nada mais justo, pois merecem já que são as únicas capazes de gerar outro ser e nem mesmo diante da dor do parto elas desistem de serem mães.

Ser mãe é ser mais que mulher, é ser um ser de entrega divinal!
 
                           
Luiz Miguel
Enviado por Luiz Miguel em 04/05/2008
Reeditado em 02/05/2013
Código do texto: T974028
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Luiz Miguel
Belo Vale - Minas Gerais - Brasil, 43 anos
45 textos (34016 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/09/14 20:42)