Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O QUE FAZER COM A PALAVRA?**

O que fazer com palavras que recolho no chão dos enjeitados? As mantenho na gaveta, caladas, ou com elas faço estardalhaço em praça pública?

As vezes nelas busco amparo, noutras as rejeito; com elas medito, com elas faço levantes. As vezes as vejo como asas e as projeto como se fossem pássaros.

Tem dias que a elas me dedico como um artesão e as monto em peças, como se fossem raras, e as lapido como se fossem pedras-de-lei.

Penso: com elas hei de fazer brilhar almas; dá-las de beber ao povo; matar a fome da massa. Ou, quem sabe, fazê-las aríete, arremessá-las contra o muro das desgraças.

Noutras horas quero enterrá-las no fundo do quintal; colocá-las na mala e atirá-las na correnteza do rio. Dar a elas adeus. Cala-las de vez.

Tal e qual um guardião, entretanto, as mantenho presas e fico de prontidão. Como quem tem culpa, invento desculpas para desacreditá-las como mensageiras de paz.

Ora! São só letras algemadas à verdades; são só palavras com vida, aprisionadas; são só almas perdidas, recolhidas das ruas, anexadas à frases desconexas.

Por fim me decido: As coloco alinhadas como soldados, perfiladas como esquadras; as arregimento em versos e as amarro às rimas.

Agora me espanto ao vê-las estampadas como pétalas, coladas às folhas brancas, ao quase-nada das páginas deste livro.
Célio Pires de Araujo
Enviado por Célio Pires de Araujo em 12/07/2005
Reeditado em 21/10/2006
Código do texto: T33407

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (autoria de Célio Pires de Araujo). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Célio Pires de Araujo
São Paulo - São Paulo - Brasil
1075 textos (32935 leituras)
2 e-livros (236 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 22:08)