Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Ata - Circuito de Música, Poesia Reflexões Coletivas - Evento com o detonauta Tico Santa Cruz e Voluntários da Pátria


Ata

Eu quero cantar rock, pop, blues, jazz, funk.
Quero recitar meus pensamentos, vomitar meus sofrimentos.
Sair de um casulo perdido nesse mundo maluco,
Em que por razões econômicas as pessoas deixam de ser justas;
Que por razões políticas crianças morrem de fome e idosos sem assistência médica;
Que por razões diplomáticas os membros do FMI e do Banco Mundial se reúnem todo ano num lugar bacana do mundo, sendo que sediam prédios na mesma rua em Nova Iorque;

Quero esquecer de Lula, Renan Calheiros, mensalão, mensalinho, CPMF, ICMS, IPVA, BR-101;

Eu vou tomar aquele velho navio e ir me embora pra Pasárgada já que lá sou amigo do rei e aqui não consigo nem falar com o meu vereador.

Oh! Minha grande obsessão: eu quero ser como o Paulo Leminski para poder dizer
“Moinho de versos movido a vento
Em noites de boemia
Vai vir o dia em que tudo que eu diga
Seja poesia.”

E quem sabe um dia, eu acorde e descubra que os dragões sejam moinhos vento.

-

Venham!
Expulsem de seus corpos os escravos, os paradigmas.
Jornalistas, historiadores, publicitários, lingüistas, atores, músicos, universitários!

SEJAM ORIGINAIS

Mudem suas teses, beijem livros, contem suas histórias, cantem!
Esqueça seus problemas, preocupe-se com seu próximo.

Lembre-se de Deus: sem cor, sexo ou idade.

Para aqueles que acreditam no futuro da nação expressem suas indignações.

Encante serpentes, homens, mulheres, a natureza.

Não faça poesia: SEJA POESIA.

Invada os espaços, transforme-se quando criança, jovem, e idoso.
Liberte-se das grades, abrace-se beije-se, admita seus erros!
Assovie! Mostre sua Voz!
Aplauda, deixe-se ser aplaudido
Feche os olhos e sinta o vento no seu rosto
Ouça os pássaros que existem na voz de algumas pessoas.

Não tenha vergonha meu amor: a hora é essa!
Perceba seus amigos, os olhares, os sorrisos, as lágrimas.
Mude – seja metamórfico – vire tudo de cabeça para baixo.
Tome sorvete de cabeça para baixo.

Componha a melodia da sua vida
Faça amor de dia, de noite, de madrugada, mas cuide e ame seus filhos.
Enfeite sua família com flores.

Você me disse que tudo pode acontecer
Faça o amor brilhar
Coma pitangas, beba chuva.

Dance, bata os pés, mexa e aqueça o esqueleto
Toque tudo o que puder
Faça bonito! Mas respire...
Respire como seu corpo pede
Respeite seu corpo e seus pais, ame.

Seja carpinteiro do universo, de si
Construa uma casa em você
Ou um castelo
Olhe as gaivotas no céu
Viaje
Deixe seu dia-a-dia colorido

SEJA DE BEM COM A VIDA

Ultrapasse os muros que o separam do futuro
Embarque em naves espaciais
Conheça outros mundos
Mas não deixe sua vida descolorir

Talvez não seja o mundo que esqueceu de você
Mas você que se escondeu do mundo
Contos de fada são contos
Mas os seus contos são a realidade

Tire o pó do seu palco
Leia, leia, leia...
Mas crie sua própria opinião

Pinte suas unhas que qualquer cor
Beba água, enquanto ela não acabar

Conheça a história do Brasil de quando o Brasil nem Brasil era.
Entenda o caos, da vida e dos aeroportos
Da justiça que tarda e falha

Mas entremeie seus estudos específicos com poesias de Drummond
Mas e agora Drummond?
Roubaram seus óculos!
Como vai tirar a pedra do meio do caminho?
Talvez seu amigo José saiba como fazer
Para tudo melhorar
Para a guerra acabar
E o soldado descansar

Vá para o meio, para a direita, para a esquerda
Aprenda novas coreografias
Passe para um nível mais difícil

Seja sensual, rebole, solte-se

Vamos navegar... mas não perca a vontade de amar

Vista a bandeira do Brasil!

Viva!

Emanuelle Querino
 23/10/2007 – 22h30

Estávamos ali dentro de uma bolha
Mas nosso pensamento ia muito além do universo.


Emanuelle Querino
Enviado por Emanuelle Querino em 24/10/2007
Reeditado em 22/01/2008
Código do texto: T708630

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Emanuelle Querino). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Emanuelle Querino
Imbituba - Santa Catarina - Brasil, 27 anos
65 textos (8709 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/17 05:11)
Emanuelle Querino