Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Quando te conheci meu amor...

Aurora Faggi
&
Marilena Trujillo

 
Quando te conheci, minha vida mudou.
O Sol escondido entre as colinas, meio envergonhado,
Aos poucos, foi-se desfazendo de sua roupagem,
E se aproximando  da vida, que outrora havia terminado.
O firmamento sorrindo, se pôs todo em festa,
Era chegado finalmente o dia marcado para nosso encontro
Que há muito tempo, nas noites vazias em serestas
Tocava meu coração sempre em busca de conforto...
Aurora

Deixei as tristezas e dissabores, lá no passado
E vestí-me de gala, era o nosso primeiro encontro,
Logo estaríamos frente a frente...
Um tremor de emoção sacudia todo meu ser,
Enfim iria ter-te pertinho, tão perto...
Ah... minhas veias latejavam e o
Coração pulsava acelerado...
Mary
 
Viestes escoltado pelas nuvens alvas, banhando
De sorrisos meus dias que demoraram tanto  a passar.
Quantos afetos, abraços, beijos molhados, caminhando
Seguíamos a trilha da estrada florida a pensar,
Que tudo era assim...um mar de rosas...
E que a vida em seu afã  estava preparando
Os momentos mais lindos para um infinito amor iniciar.
Aurora

Mergulhamos um no outro, esquecidos do mundo,
Sol, céu, natureza... tua mão na minha
Tua boca molhada, tão boa...
Sussurrando: Amor...querida, vida minha !
Perdida em teu olhar deixei-me ficar...
Seria um sonho?
Eu não queria mais acordar...
Mary

E assim nosso amor foi crescendo, na luz do sol
Brilhando em multicores, e em cada cor a beleza sem igual,
Como um dia de primavera, em que o perfume meio atrevido
Se mistura em suaves  carícias num gesto divinal.
Amei....fui amada...senti teu coração em gemidos
Pedir  amor, mais amor....somente amor
Para que a própria vida ouvisse teu clamor
E nos deixasse assim...para sempre unidos.
Aurora

Implorei: Pai Onipotente, abençoe este amor presente...
Quero estar em teus braços para todo o sempre...
Ser tua estrela, tua menina, ser teu próprio ar...
Já sou tua, es tão meu, nossos corpos são um só...
O gosto do nosso amor está em minha boca
Como posso chamá-lo agora de amigo,
Depois de teu corpo ter percorrido o meu,
Depois de tanta entrega?
Não meu amor, prefiro partir pra sempre
Quebrada, arrebentada por dentro...
Esse amor está aqui, não posso tirar-te de mim
Triste dor, nunca poderei chamar
De amigo quem chamei de amor!
Vai por favor, não olhes para trás amor!...
Mary

Aurora Faggi
&
Mary Trujillo

28.09.2003

Direitos autorais reservados
Mary Trujillo
Enviado por Mary Trujillo em 10/04/2006
Código do texto: T136643

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Mary Trujillo
São Paulo - São Paulo - Brasil
387 textos (25775 leituras)
41 áudios (1840 audições)
8 e-livros (1171 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 05/12/16 18:58)
Mary Trujillo