Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poemas que se respondem - Gustavo e Sônia

Gus nº XLIV

Rua da felicidade,
Sem número fixo
Mas faz perfeito crucifixo
Com a avenida da boa vontade

De poeira, se faz almoço
Dois goles de maresia, fria
Adoçada da mais pura homofobia
Sobremesa é o negro fosso

Sentai-vos à ribanceira
Está servido o banquete
A credencial é o sinete
O lamaçal a esteira
Puxa o lençol de palavras
Apruma o travesseiro de lata
Esquece a dor, que dor é abstrata
Concreta é a cova que cavas

Repousa feliz ao relento
Só em sonho tamanha alegria
O frio é, pois, analgesia
Amortece qualquer sofrimento

Se outro passa, repara a beleza
Raça humana, perfeita por natureza
Entoa hinos, póstuma homenagem

Controle de natalidade, contraceptivo
Morrer – se consola – é subjetivo
Desgraça pouca é bobagem!

Gustavo Schramm



Eco nº XLIV

Avenidas da displicência
Sem locação pro desleixo
Pedintes levando o madeiro
E o gole de fel do hospitaleiro.

Mata um cachorro e come.
E como consegue essa gente?
Afinal gente tem fome
É só mais um cachorro quente

E ali na beira da estrada
Ninguém vem de mão lavada
Quem corre come primeiro
Quem dorme não leva nada.

Encheu a cara de pinga,
Dor não dói se for regada
Esqueceu que a fome era negra
E a quem passa, nem doeu nada.

Repousa feliz teu atrevimento
Que teu sono afronta, em tudo, o real;
Como acordar desse frio de cimento
Se quem anda abrigado se aquece tão mal?

Humana raça por vaidades vencida
Se as dores são minhas, alargo as medidas
Louvores, templos e hinos, hipocrisia no caos

Controle é pecado, prevenir é sacrilégio
Morrer não, que Deus o leve! Mas cuida de ser batizado!!!!
Reverbera eco insistente, no sentimento vexado!

Eu daqui, vontade fraca e enfadonha,
Ao som que acrescenta peso à bagagem
Aplaudo teu grito: Desgraça pouca é bobagem!
Sônia C Prazeres
Enviado por Sônia C Prazeres em 20/11/2006
Reeditado em 14/02/2007
Código do texto: T296758

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Sônia C. Prazeres www.soniaprazeres.com). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Sônia C Prazeres
Santos - São Paulo - Brasil, 59 anos
178 textos (8564 leituras)
15 áudios (1757 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 07/12/16 12:50)
Sônia C Prazeres