Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Uma Lágrima


 

 

-

 

 



 

Uma Lágrima

 

Sentado em meu canto preferido

fui visitado por uma lágrima solitária.

Formou-se no olho esquerdo e lá ficou

algum tempo sem deslizar por minha face.

Ia de  um canto para o outro sem cair.

O tempo foi passando e enevoando minha mente em lembranças recentes.

Não queria lembrar, mas elas viam, desfilavam zombando e rindo de mim.

Até o velho salseiro parecia feliz com aquela situação. O vento açoitavas seus galhos espichados quase encostados ao chão.

Eles assobiavam rindo de mim.

Pois ali mesmo, junto dele namoramos varias vezes, entre juras e planos mirabolantes na construção da casa e de quantos filhos teríamos.

A lua, essa nem mais sai de trás das nuvens. Esta envergonhada pelo abandono, pela solidão, pela tristeza do jardim de nossa casa.

 Somente o vazio f icou.

Mansamente agora ela escorre em meu rosto

num brilho fúlgido e límpido.

Ao longe, as nuvens carregadas anunciam

mudança de tempo, enxugo a lágrima e

volto a realidade.

 

Paulo Mello

28.06.07

 

 




 

Uma lágrima

 

Vejo que fala de mim com tristeza

Não sou uma lágrima inimiga

Só chego quando alguém tem os sentimentos

Intensos e verdadeiros.

Fui criada para os olhos falarem

Todas as palavras que um dicionário comum

Jamais traduziria

Venho quando alguém me chama

Pela dor ou plena alegria.

De longe senti seu coração apertado

Dentro desse peito oprimido

Nele contido toda dor de amor e de saudade

Devagar...bem devagar vou esse peito

Desapertando

A sensibilidade vem à tona

Os olhos vertem a dor e a tristeza

Então se sentirá mais leve, mesmo que vazio

Pois lavarei sua alma,

Permitindo toda a emoção aflorar

 preparando lentamente um novo recomeçar.

Lembre-se quando de felicidade

 e coração enternecido

Dancei em seus olhos, um ritual de alegria

Quando não sentia dor, nem saudade

Mas por irradiar vida, paz e harmonia

Portanto, precisando

Sinta-me, mas como amiga e aliada

Porque se me chamares virei

Não para desarmonizar

E mais uma vez

Fazer-lhe companhia irei.

 

Fanete Costa

28.06.07

 

 

 
 

 
Paulo Mello
Enviado por Paulo Mello em 24/08/2007
Código do texto: T621289
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Paulo Mello
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 63 anos
446 textos (11382 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 20/10/17 07:17)
Paulo Mello