Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Até que nós aparecemos

 

 

          Porque continuas tão sozinha

Sozinha, a vida vai perdendo o sabor, eu sei,

          Depois não digas que não te lembrei.

Um filme começa a rodar na cabeça com hora e lugar para lembrar

          Então porque te continuas a isolar?

Conheci alguns conhecidos que vêm e vão,

          E nenhum conquistou teu coração?

Não bons o bastante para mudar o meu curso, o meu rumo, a minha rota,

          Não serás tu quem fechou a porta?

Mas você apareceu,

E mudou tudo aquilo que eu achava ser certo para mim

          Dizes-me que esse tal, posso ser eu?

          É mesmo, sentes mesmo assim?

Eu aprendi a dividir, a doar-me por alguém

Que valesse a pena apostar

          Aceitas-me então nesse teu vai e vem,

          E deixas-me tentar te conquistar?

Ninguém valia um vintém para gastar

          Mas arriscas em mim invstir

Jogava o dado e me perguntava: Em quem confiar?
          Eu ainda não me tinha feito descobrir.

Era assim até que voce apareceu

E mudou tudo que eu achava certo para mim.

          Foi como uma luz que se acendeu

          Quando eu te conheci.

Eu aprendi a dividir, a doar-me a você.

          E eu aprendi a dividir, a amar sem procurar o porquê.


Poetisa da Noite & FrancisFerreira

 

FrancisFerreira
Enviado por FrancisFerreira em 17/10/2007
Reeditado em 20/01/2008
Código do texto: T697804

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
FrancisFerreira
Portugal, 59 anos
637 textos (32143 leituras)
4 áudios (101 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 17/10/17 20:35)
FrancisFerreira