Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto



CHEGASTE
LuliCoutinho


Chegaste como um pássaro!
Que invadindo meu quarto
Voou em meus sonhos, mostrou teus encantos,
E todo o teu canto, entoou como fados.

Chegaste como a brisa!
Que penteia os cabelos
Acaricia o meu corpo, deixando-o quase louco,
Arrepiando meus pêlos, e os segredos, poder vê-los.

Chegaste com o sutil poder!
De modificar meu ser, encantar-me e me ter;
E sem que eu possa perceber,
Ser somente tua, sem nunca te ter.




Chegaste
Divagação sobre o poema de
LuliCoutinho
por
Nina Castro 


Chegaste como uma asa...
Homem ou Anjo?
Chegaste como quem chega a casa.
Invadiste o meu céu... e ele tornou-se teu.
Com o teu acalanto, o teu abraço, o teu encanto...
Envolveste-me nas brumas de partilhada memória.
Iniciámos a nossa história...

E todo o teu silêncio, soou como fados.
Não tristes, não desencantados, mas desafios....
De sedução ornamentados.
Passos por Jardins da Mente... alados.

Chegaste como vento quente!
Que (des)penteia os meus longos cabelos
Afaga o meu ser, que na ausência te sente!
E o teu nome clama... em murmúrio rouco.
Deixando o meu peito, de vontade de ti, quase louco,

Arrepiando os meus pelos,
Dos meus sonhos fizeste novelos....
E os segredos... na minha nudez... podes vê-los.

Chegaste com o subtil poder
De modificar o meu ser, de me encantar e me envolver.
E, sem que eu o pudesse perceber,
Ou negar, ou não querer...
Ou gritar que sim e te escolher....
Fizeste-me somente tua, sem te ter.






Assim chegastes...
 
Deth Haak


Como vento que ateia bravo, enternecido manso
Sibilando tons do canto. Doces notas dum poema
Alado em promessas de amar. Flanando como anjo
Cintilando amor . Pétalas pranteada poesia...

Na taciturna noite , como cometa, infelicitando
Orbe envolto em brumas. Lasciva memória parca

Fascinando a aura ,cantiga ao senso alquebrado,
No valsar das cortinas. Desmemoriada fantasia...

Plumas flutuaram, fiz-me Vênus no oitante da lua
Valsei lamúrias! Melancólicos fados ornados a sedução
Declamados em versos. Não eras meu nem fui eu tua! 

Assim chegastes... Tépido vento, trapos tidos da falcatrua 
Remendar. Palavras que mentem, rimadas apenas no coração
Demente. Paixão, pranto da lua reluzente, seduzindo a rua...

8/11/2005 



Chegaste e pronto
Inês Marucci

Chegaste atraído pelo chamado inaudivel
que apenas o sentimento puro sabe ouvir,
e abrandast'em mim a aflição insuportavel
da qual me tornei escrava até sucumbir!

Chegaste no arco-iris que a negra noite
esconde muito trás dos astros pétreos
e de sinfonia imortal meu ser encheste
a respirar e levitar nos sonhos etéreos!

Chegaste não sei de onde, paz bendita,
das mirras perfumando o meu caminho
qu'agora na calma dos cânticos palpita;
meu ser s'entrega ao Mistério estranho!

Chegaste e pronto! A razão não justifica
os florescimentos imprevistos desta noite
dos Silêncios, que sublimiza e dulcifica
e mudamente entende o que a alma sente!

Santos-SP-18/09/2006




Maravilha poetisas! Lindas participãções!
Meu carinho... Beijos...
Obrigada.
Luli


LuliCoutinho
Enviado por LuliCoutinho em 04/01/2006
Reeditado em 19/09/2006
Código do texto: T94441
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
LuliCoutinho
São Paulo - São Paulo - Brasil
863 textos (158639 leituras)
2 áudios (428 audições)
7 e-livros (1313 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 03:58)
LuliCoutinho