Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema maior


Se o mundo explodisse agora, talvez, nada disso faria sentido ... É bom, em alguns momentos, não confundirmos certas coisas (por mais que, em outros, certas coisas não devem ser confundidas). Um momento como a ressaca e o dia seguinte. O último será sempre seguinte se alguém der sentido a ele, mas a ressaca não (por mais que alguém faça dela o mesmo do dia seguinte) ela é única e verdadeira – a dor de cabeça pode se transformar num conto relaxante, num momento nu e sublime, propício a ironia. Mas, voltemos a confusão. O beijo roubado de uma ex-namorada, por exemplo. Durante algum tempo, vocês já foram íntimos e, um beijo roubado não era mais que um simples agrado. Hoje, após o rompimento, isso dá cadeia e briga na justiça. Há um enorme debate sobre isso – está nas bancas de revistas, nos jornais e televisão, com, inclusive, programas especializados. Assuntos como esses prorrogam por tempos, e mesas de bares se transformam para dar atenção a essa séria discussão. Pode se dizer que há uma mudança para dar continuidade aos debates televisivos.
É crível perder a razão do sentimento (soa um pouco contraditório isso). O amor acabado vira pó. É chato dar esse sentido ao amor! Concordo com Leminski ao dizer que ele se transforma, pois não acredito que ele seja orgânico, sei que é vivo, mas não material a ponto de concretizar a sua morte. Há vários sentidos para o amor, e isso faz com que ele seja contemplado pela sua diversidade (inclusive amá-lo sem desejar alguém). Abandona-lo é ser covarde, mesmo rompido, uma nova forma de amar deve ser proveitosa. “A mulher que eu ame, seja sempre amada, mesmo que distante” (O. Montenegro). “Meu amor é meu deus” (P. Leminski). Ter controle dele é ter o de si. Orienta-lo é estar confiante.

Amor dura pouco.
É comum para um.
Sua vida, seu sufoco.

Talvez a minha confusão seja a fusão entre vida e amor.
...
GN - 11/09/04.
Gustavo Naufal
Enviado por Gustavo Naufal em 12/02/2006
Código do texto: T111047

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Gustavo Naufal). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Gustavo Naufal
Curitiba - Paraná - Brasil, 36 anos
71 textos (2030 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 12:46)
Gustavo Naufal