Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Eu devia tão pouco menos falar

Eu devia fechar a porta e ir adiante, tomar esse volante e tocar em frente, porque além dessa janela eu não vejo além de paisagens...eu nada sinto além de vontade...
Você pode ouvir o vento chicoteando a vida lá fora? Depois de todo o calor , e da chuva mansa, a noite chegou com ares gelados pedindo leito quente, e agora?
Eu me assento defronte essa janela e perco o ar de sonho pra ver como a natureza tem vontade própria. Porque não imitar suas sábias decisões?... a vida é movimento, é riso frouxo, é pé valsando, e caminhos sempre abertos...
Vontade de afastar os olhos da janela e experimentar a dureza da estrada, onde tudo se movimenta e os sons são constantes. Em que pó estarão os novos desenhos a serem marcados, pelos meus pés que descalços conseguem sentir a textura do chão e a sua quentura.
Eu devia botar a mochila nas costas e distribuir um pouco de palavras pelos ventos, deixar a boca livre para os cânticos...
Eu devia rasgar todos os contratos para experimentar a novidade de ir buscar o que minha cabeça pede, e meu corpo deseja...mas eu queria mesmo era
entrar nessa roda viva e girar sobre o fogo dessa estrutura para aprender onde estão os meus limites...onde eu assinaria meu nome sem receios.
Eu queria romper os ciclos e sair dos círculos para alcançar e tomar o que minh'alma pede sem cessar. O engasgo dessa pouca visibilidade me faz supostamente sem domínio e arrasta-me nesse espasmo diário, onde só sonhar é permitido...
Eu devia fechar a porta e não olhar para trás, porque além dos meus olhos secos, há ainda a esperança no sabor da língua, que conhece o gosto que anseia, só pelo desejo revelado, na redundância do pecado fartamente provado...
Eu devia tão pouco menos falar,
pra mais depressa lá chegar...
Angélica Teresa Almstadter
Enviado por Angélica Teresa Almstadter em 25/05/2005
Código do texto: T19649

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Angélica Teresa Almstadter
Campinas - São Paulo - Brasil, 62 anos
1054 textos (55634 leituras)
25 áudios (3274 audições)
1 e-livros (247 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 08:26)
Angélica Teresa Almstadter