CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

"ch", "nH", "lH" (ele agá) são, de fato, DÍGRAFOS ?


                                 (Amigos leitores e (aqueles como nós)
                                 fanáticos pela língua portuguesa :]

                                  Conforme já é previsível, a respeito do con-
                                  teúdo deste artigo, iremos receber uma en-
                                  xurrada de manifestações de discordância.

                                   Estamos, nesta oportunidade,   como
                                   sempre, abertos a críticas e posicionamen-
                                  tos discordantes, DESDE QUE BEM FUNDA-
                                  MENTADOS. Se, portanto, um argumento em
                                  contrário, nos parecer coerente, tenham
                                  certeza de que não  apenas nos curvaremos
                                  a ele, como agradeceremos pela inestimável
                                  contribuição de seu autor.

                                  Afinal, além de não sermos o dono da
                                  verdade, este nosso espaço prima
                                  exatamente por levantar questionamentos
                                  em torno de nossa complicada língua e com
                                  total liberdade de posicionamentos em con-
                                  trário, com  um objetivo único : tentarmos
                                  entendê-la o melhor possível e aprender   a
                                  nossa língua através de polêmicas . Afinal,
                                  "é  da discussão que vem a luz".
 
                                  Mas, vamos lá...)

                          --------------------------------------

                                  Observe as letras em maiúsculo nas pala-
vras abaixo :

                - maSSa (2 letras, "ss", com UM único som, o de "ç")
                - naSCeu(2 letras, "sc", com UM único som, o de "c")
               -eXCedeu (2 letras, "xc", com UM único som, o de "c")
                - aQUilo   (2 letras, "qu",com UM único som, o de "k").

                Ou seja, nestas palavras, HOUVE O EMPREGO DE DÍGRAFO, porque, nelas, as duas letras destacadas - confirmando
o conceito a respeito de dígrafo - correspondendem a um único som.

                E, para reforçar ainda mais tal conceituação, reparem
que, se ao invés de "aQUilo", relacionássemos a palavra "QUando",
nesta palavra, mesmo mantido o encontro QU, já não teríamos dí-
grafo, visto que, nesta palavra, Q e U têm sons distintos - o que
não ocorre com a palavra AQUILO.

               

               Agora, observe estas palavras :

               CHeiro,
               diNHeiro,
               faLHa.

               O que podemos depreender delas, especificamente com relação aos encontros CH, NH e LH ?

               Para  nós, pelo fato de o H, nestes encontros NÃO SOAR MUDO (ao contrário de em "Hoje", "ah" e similares), descaracteriza esses encontros como formadores de DÍGRAFOS :

               Sem o H, o "c" pode ter os sons de "si" (como em "cereja"), o som de K (como em "Código"), etc...

                                    ou seja :

               (Ao contrário de "massa", "nasceu", "excedeu" e "aquilo", em que a segunda letra não altera a sonoridade da primeira), em CH ("CHEIRO"), o emprego do "h" altera o som original de C; O mesmo
acontecendo com "diNHeiro" e "faLHa".

                                   Ilustrando melhor :

              Cora (=enrubece), sem o "h", o "c" tem o som de K,
                                   mas em
            CHora (=lacrimeja), com o "h", o "ch" tem o seu som
                                   profundamente alterado, de "k" para
                                   "x".

                                   Se hipoteticamente viesse a ser julgado procedente por quem de direito (gramáticos e linguistas) este nosso questionamento, os encontros CH, LH, NH deveriam deixar de ser classificados como dígrafos, passando a ser classificados como ENCONTROS CONSONANTAIS (daquele tipo em que as letras que formam o encontro consonantal NÃO se separam, como ocorre em "BRanco", por exemplo).

                                   À análise e pronunciamento dos nossos
leitores...
 

                                   (Não sabemos se conseguimos ser suficientemente claros na explanação da problematização (argh, quanto eco!) mas, a depender das prováveis manifestações de discordância, é possível que consigamos ir sendo
mais elucidativos). (Assim esperamos...)

                                   Um bom domingo a a todos.      
pedralis
Enviado por pedralis em 06/06/2010
Código do texto: T2303054
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
pedralis
Salvador - Bahia - Brasil
2665 textos (2784532 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 01/09/14 18:02)