Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
VELHOS SÀO OS TRAPOS

Porquê brotou o ser humano neste planeta ?

Os humanos possuem em si a capacidade de desenvolver uma consciência própria afetando a consciência coletiva da qual é apenas parte .

A vida sem consciência própria não é plena pois a beleza também pode ser saboreada através da consciência dela .

mergulhando no oceano , em ilhas de corais , penetra-se na dimensão cósmica de um paraíso aquático natural extasiante .

quantos paraÍsos ainda existem neste planeta ? Quantos paraÍsos existem fora deste planeta , neste borbulhar atômico de realidades infinitas que vão muito além do pensamento humano ?

Quem não se emociona com as flores , com as aves , com os mares , rios , lagos , florestas envolventes com seus sons e odores característicos , sua diversidade de animais inclusive o animal humano com suas misérias e seus mistérios ?

Velhos !? ... São os trapos ! , já dizia alguém .
==================================

Numa praia calma de coqueirais verdejantes e águas verde esmeralda ondulantemente sensuais ao beijar as areias cristalinas , o sol se pondo no horizonte a refletir a cor do fogo , as garças grasnando a prepararem o ninho da noite , os transeuntes na estrada passeiam seus automóveis luxuosos , as águas do mar oleosas do petróleo ou outros detritos ......

"Velhos" são aqueles que assistem impávidos a estas paisagens e não se emocionam , apenas se recordam ligeiramente de seus tempos de meninos a brincarem nas areias das praias montando cavalos de ventos e rédeas na sua inocência descobrindo a vida momento a momento .

"Velhos" são aqueles que ao olharem as plataformas marítimas de empresas petrolíferas com seus oceanos oleosos e o fundo do mar cheio de lixos radioativos escondendo a incompetência humana não compreendem conscientemente esta realidade maior que representa a destruição do próprio habitat .

"Velhos" são aqueles que ao assistirem a dezenas de cardumes de baleias , golfinhos e outros animais marinhos a estranhamente encalharem nas praias fugindo dos oceanos não compreendem a gravidade da mensagem profunda por detrás de tal suicídio animal ,

não compreendem que tais atos de auto-suicídio dos animais representam um sinal urgente de pedidos de socorro

devido à poluição causada por humanos gananciosos e inconscientes ao lançarem de maneira escondida nos fundos dos mares tambores cheios de lixos radioativos , principalmente nestes mares do sul menos vigiados ,

não compreendem a consequência das enormes manchas oleosas cobrindo as superfícies dos mares e que não permitem a evaporação das águas nem a troca de oxigênio entre as águas e o ar

e tudo isto tem o consentimento explicito ou implícito de muitos dos políticos que governam o planeta ,

lixos produzidos por países do Norte e do Sul tecnológico .

As gerações sobreviventes do norte e do sul talvez venham a recordar isso nos dias seguintes .....

"Velhos" são aqueles que já não sentem o sussurrar dos ventos trazendo as inconfidências inocentes da vida nas brisas refrescantes dos campos transportando o perfume adocicado das flores silvestres após as chuvas saciando a terra ,

pois já estão á espera não da "morte" mas de perder a "vida" e isso afecta mais do que a beleza real viva e resplandecente ao redor .

A proximidade de perder este corpo , esta aparência física apesar de mal vivida e de não entender o que vem pois não compreendem o viver aqui e agora construindo um futuro melhor , deixa-os em conflitos psíquicos internos e consequentemente externos .

Para se compreender e apreender o silêncio é necessário saber escutar o barulho .

Para ser sensível á beleza é necessário saber olhar o "feio" pois fugir deste sem o compreender produz insensibilidade e não se descobre o mundo em suas diferentes nuances e realidades .

Quem nunca viu um diamante polido refletindo o brilho do sol não tem noção da beleza do mesmo .

Quem vive emaranhado em dogmas e preconceitos nunca terá oportunidade para desenvolver uma consciência dedutiva e profunda sobre seu espaço/tempo e seu boiar por este planeta água é marcado pela dor criada por seu cérebro conflituoso .... Mas não tem noção da perda .

O pensamento é um meio poderoso desenvolvido pelos humanos a partir de uma memória num cérebro complexo e que permite o desabrochar da consciência sobre a vida tornando-se numa ferramenta poderosa e quando usado por seres humanos desequilibrados transforma-se numa arma perigosa .

Os seres humanos devem vasculhar seu cérebro a fim de compreenderem sua estrutura mental dogmática , preconceituosa , instintiva , lógica , etc . .

Os humanos necessitam remexer com cautela mas sem receio nas raízes de cada pensamento , todos sem exceção para ao revê-los , mesmo que mentalmente lhes pareçam doer ou que são proibidos , descobrir os fundamentos de cada um , desnudá-los e reeducarem-se a si mesmos .

O cérebro necessita de ser trabalhado para se desenvolver , como um músculo , e quem não auto-reflete sem dogmas e sem preconceitos diariamente não aprofunda seus pensamentos .

Um jogador de xadrez precisa de muitas horas de reflexão para descobrir as infinitas possibilidades deste jogo de labirintos .

Uma sociedade que vive em paz consigo mesmo é mais desenvolvida no coletivo do que aquelas que vivem em guerras .

Quem mata para afirmar suas idéias como as melhores a fim de alcançar poder sobre outro ser humano não é equilibrado .

Uma nação que explora outra apenas para seu próprio beneficio não é certamente uma sociedade equilibrada e desenvolvida mentalmente .
Valdemar Ferreira Ribeiro
Enviado por Valdemar Ferreira Ribeiro em 18/06/2005
Reeditado em 04/08/2010
Código do texto: T25396
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Valdemar Ferreira Ribeiro
Angola
127 textos (38337 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 02:06)
Valdemar Ferreira Ribeiro