Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
OBSERVANDO OS PAÍSES OCIDENTAIS

Observando o " Norte "" por outro ângulo

No século XIV iniciaram-se as grandes navegações marítimas e a Península Ibérica foi pioneira nesse navegar religando os continentes e os grupos humanos após milhares e milhares de anos do inicio do caminhar para o norte dos povos da África Austral e descendo depois para o sul do Continente Americano e Oceania .

Esse religar da humanidade através das estradas oceânicas , estradas de informação na altura as mais desenvolvidas tecnologicamente e as mais rápidas pois utilizavam os melhores navios do mundo da época , permitiu aos humanos caminhar ao reencontro de si mesmos e este encontro ajudou a surgirem nesta Era contemporânea mais pensadores sapientes e construiu-se uma união maior entre muitas das sociedades de hoje pois passaram-se a conhecer melhor e às suas culturas , numa troca de valores , apesar de também se terem gerado muitos desequilíbrios nas relações humanas destas sociedades diferentes e com o ambiente natural animal e vegetal , ambiente ecológico .

A África Austral , região aonde brotou à muitos e muitos milhares de anos a raça humana denominada “Australopithecus” , era e ainda pode ser considerada uma região bastante interessante sem grandes crises ecológicas apesar das crises sociais mas que podem ser ultrapassadas se houver desejo bastante para isso por parte dos seres humanos envolvidos com o desenvolvimento desta região .

No século XV , na África Austral e na região das Américas do Sul e do Norte , o povo nativo , de um modo geral vive em equilíbrio entre si e com a natureza , em tribos com hierarquias naturais determinadas pela sabedoria da experiência dos mais velhos .

Há um equilíbrio populacional e a natureza sábia prove com fartura os alimentos necessários para o dia a dia destas sociedades nativas e cada tribo desloca-se para qualquer lugar sempre que quer pois há muito espaço e alimento para todos .

Os mais novos respeitam os mais velhos e protegem-se mutuamente pois todos sabem que os mais novos têm muita energia física ( energia animal ) mas os mais velhos possuem a energia mental da sabedoria e da arte do bem viver .

O clima é bastante ameno e os povos destas regiões não têm complexos de beleza estereotipados no exagero , andam com pouca ou nenhuma roupa desfilando suas cuidadas belezas corporais naturais nas brisas refrescantes dos ventos e nas águas cristalinas sem poluição dos rios , mares e cachoeiras , namorando e desfrutando pacifica e agradecidos as maravilhas que a vida lhes ofereceu ali .

Estas regiões sempre foram desde os primórdios terra benditas com abundantes alimentos apanhados ou caçados nas florestas , nas savanas , nos rios , nos mares e águas cristalinas de sabor refrescante e o dia a dia destes povos é vivido como numa oração à vida , quando estes grupos conseguem viver de forma natural , sem grandes interferências dos humanos urbanos ou sem grandes interferências dos deuses criados pelos ditos civilizados a castigarem uns na terra e premiarem outros no céu reservando poltronas no céu àqueles que se acham seus procuradores na terra ou mais civilizados , segundo conceitos de lógica própria e não lógica universal .

Nestas regiões do sul , ao nascer da noite brotam poentes de fogo ardente , acendem-se as fogueiras em cânticos de mil cores , desfilam humanos corpos em danças saudáveis e fortes ao som de tambores vibrantes rufando em mãos de tocadores mágicos .

O paraíso não está em alguma teoria do além utópico e dogmático a alcançar mas está aqui bem presente e este paraíso é desfrutado plenamente por todos no dia a dia , desde a criança mais tenra até ao adulto mais maduro através de um viver que segue os princípios da colaboração e harmonia dos povos .

São tribos em equilíbrio com a natureza e essa é a sua maior riqueza .

**************************

Um dia , durante o século XIV e xv e nos séculos seguintes , nesta África Austral e nas Américas , apareceram alguns grupos humanos vindos do Mar do Norte , de outro continente , poderosos em seus barcos de guerra movidos a vento com velas latinas e armas de ferro e pólvora.

Estas armas permitem a estes homens dominar pela primeira vez no planeta os mares nunca dantes navegados e as terras bordejantes .

Chegam vestidos em roupas extravagantes e coloridas , escondendo seus corpos do sol e suas mentes andam à procura de riquezas em terras nunca visitadas pelo mar .

Diante de tantas belezas nas orlas marítimas , abundantes em florestas e rios com águas límpidas na foz , os grupos humanos vindos do norte supõem haver ali muitas riquezas e usam a força do ferro e pólvora para dominar os povos que aqui vivem tranquilos .

Estas figuras estranhas cobertas de roupas grossas em corpos suados e cheiros característicos após semanas e meses no mar sem tomar banho nem as vestimentas lavadas a não ser pelas chuvas pois a água doce era bastante escassa nos navios e pouca para beber , fazem rir os povos nativos que ali vivem no sul naturalmente , com abundância de águas e alimento e os corpos energizados pela natureza .

São cenas cômicas e hilariantes mas também trágicas para muitos nativos que ali vivem .

Estes homens de cor clara vindos do Mar do Norte muitas vezes esfomeados e barbudos invadindo sem serem convidados as belas praias e florestas desta África Austral , ao verem as ninfas cantadas por Camões , logo as perseguem desejando-as e elas rindo daqueles homens ali estranhos e escondidos em grossas e sujas roupas , correndo desajeitados atrás delas , fogem para o mato e escondem-se para infelicidade dos homens ali chegados .

Os Povos do Norte precisam ter um pensamento mais sábio na aproximação e contacto com os Povos do Sul e isto neste século XXI é possível pois já há muitos seres humanos do norte que têm um pensamento evoluído e sapiente .

Um povo inteligente sabe que a harmonia faz parte da arte do bem viver e se os Povos do Norte querem aproximar-se dos povos do sul devem fazer isso cautelosamente , pedindo licença , numa relação de respeito , colaboração e troca de cultura e sabedoria e não de domínio .

Num dos grupos humanos do norte que vieram para o sul veio o humanista e poeta chamado Luis de Camões que por suas criticas inteligentes aos modos de vida das “cortes palacianas do norte “ aonde vivia foi degredado para longe de sua terra natal , para o Oriente .

Este humanista , homem sapiente , ao contactar com os povos do sul e ao deparar com tantas e formosas belezas canta em versos que o mundo que encontra é pleno de ninfas , musas e amores e que a vida também é mais bela deste lado do céu .

Poucos humanos do norte , daquele tempo , e até à pouco tempo atrás entenderam a mensagem do poeta Camões e muitos erros foram cometidos neste contacto entre Povos diferentes do Norte e do Sul .

Aos poucos recrudesceram os conflitos entre estas sociedades humanas do Norte e do Sul culminando no fim do século XX com bastantes prejuízos para todos os envolvidos através das chamadas guerras coloniais .


********************************************************

Ontuê tuenda . ( tchau ) ( ** )
Vakêto ( obrigado) ( ** )
Tu laleípo (durmam bem / até amanhã) ( ** )


(**) Lingua Nacional Mumhuíla “ Nyhaneca “ - (Sul de Angola) , Província (Estado) da Huíla cuja capital é “Lubango” - ex-Sá da Bandeira .
Valdemar Ferreira Ribeiro
Enviado por Valdemar Ferreira Ribeiro em 24/06/2005
Reeditado em 04/08/2010
Código do texto: T27255
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Valdemar Ferreira Ribeiro
Angola
127 textos (38327 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 02:04)
Valdemar Ferreira Ribeiro