Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Desabafo...

O mundo é um grande copo terno de sangue. Me feriram a alma e quebrantaram tudo que acreditava. Hoje, creio no desalento porquê me fortalece. Posso até ser egoísta e ensaiar depressão, mas não sou Dionísio e nem um Werther. Gostaria mesmo de ser um Raskolnikov, porém falta-me ímpeto. Em quem eu depositava toda minha certeza e sentimento, rasguei minha pele. Sangro as mentiras que me contaram e nem sei o que é verdade! As verdades já me aprisionam à desconfiança. Duvido de tudo! Cansei de bancar o bom samaritano hipócrita! Cansei dessa corja infestada de bonomia. Sou um alento fadado a definhar sozinho no espectro de meu raquitismo moral. Me partiram em fragmentos e não consigo mais amar, odeio o amor!
  Alimento-me de meu próprio desespero, já que não sei nem mais quem eu sou!
Humberto Amorim
Enviado por Humberto Amorim em 24/10/2006
Reeditado em 24/10/2006
Código do texto: T272715

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Humberto Amorim
Euclides da Cunha - Bahia - Brasil
55 textos (1935 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 22:51)
Humberto Amorim