Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CULTURA EM POÇÕES

             HINO A POÇÕES

Hino Oficial do Município, desde 2003, por Lei Municipal
Autores: Massimo Ricardo De Benedictis e Carlos Napoli

Só tu, Poções,
Tiveste a glória...
Na tua história
Não há sangue a lamentar...
Somos a paz, amor e fé
E alegria para dar a quem quiser...

(2ª Parte)

Teu céu azul, tuas crianças
Verdes campos, Norte-Sul,
Teu povo livre, mente sã
E a juventude, esperança do amanhã...

(3ª Parte)

Sempre Poções, torrão baiano,
Pedaço lindo do Brasil aqui está...
Braços abertos, calor humano
Pra receber quem quer que seja pra ficar...

(Volta à 2ª Parte)

Teu céu azul, tuas crianças
Verdes campos, Norte-Sul,
Teu povo livre, mente sã
E a juventude, esperança do amanhã...
Teu povo livre, mente sã
E a juventude, esperança do amanhã...

FESTAS DO DIVINO, SANTOS REIS E SÃO JOÃO

FESTA DO DIVINO ESPÍRITO SANTO
Na sede do município acontece anualmente, a festa do seu padroeiro o \"Divino Espírito Santo\", que compõe-se de Novenas e cultos religiosos, culminando com a \"Chegada da Bandeira\", quando centenas de cavaleiros e amazonas desfilam pelas ruas principais da cidade ao som de foguetes e bandas de música, parando em frente à Igreja Matriz onde assistem e participam de uma grande Missa Campal;ali são entoados os hinos ao Divino Espírito Santo, sob emoção popular.

Esta é a maior festa do gênero em todo o Estado da Bahia. A Chegada da Bandeira é uma réplica das Entradas e Bandeiras que povoaram o nosso país, fazendo crescer os seus limites. Durante o mês de maio/início de junho milhares de pessoas visitam Poções para participar da festa. Uns vão pagar promessas, rever amigos e parentes e outros, para curtir a festa profana com bandas renomadas que desfilam pela noite a dentro, principalmente nos 8 dias finais do evento.

O Terno de Reis ganha mais força na cidade de Poções, onde a prefeitura realizou um trabalho de fortalecimento dos grupos de reisado locais, em convênio com a Fundação Cultural do Estado da Bahia e o Conselho Regional de Cultura. Em função da revitalização dos grupos de reisado de Poções, a cidade se faz representar anualmente em Salvador, na caminhada Axé, promovida pela Secretaria da Cultura e Turismo da Bahia, na abertura do verão baiano, com um grupo muito bem preparado, vestido a caráter e com instrumental reluzente, para os aplausos de milhares de turistas.

O SÃO JOÃO

Os festejos a São João Batista e São Pedro, de 23 a 29 de junho são tradicionais na Bahia.

Em Poções esta festa já teve mais encantos; em virtude da implantação de cabos aéreos, pavimentação e outros equipamentos que vieram com o progresso, a festa perdeu muitas das suas características. Uma delas, era a confecção e soltura de imenso balão na rua de Morrinhos, uma promessa anual do Sr. Peixoto. Vários municípios da região se preparam melhor para homenagear João Batista, mantendo antigas tradições.

 

A FESTA DO PADROEIRO

A festa do Padroeiro de Poções, o Divino Espírito Santo, é  a mais tradicional da região e uma das mais belas manifestações religiosas e populares da Bahia.

Para o sucesso da festa, a prefeitura contrata várias bandas, a praça principal da antiga e centenária igrejinha erigida em louvor ao Divino Espírito Santo ficou superlotada e a população participa dos festejos do seu Padroeiro, que acontece no dia de Pentecostes, data móvel, que sempre cai entre o mês de maio/início de junho.
 

A participação popular na Festa do Divino é muito forte e a cada ano cresce o número de visitantes. São milhares e milhares de pessoas de todas as partes do país, filhos de Poções ou não, que se encontram em harmonia com o Divino Espírito Santo, desde a busca do Mastro, as novenas, até a Chegada da Bandeira na sexta-feira que antecede o domingo pentecostal.

FESTA DO DIVINO 2005

Este ano a Festa do Divino, realizada entre 05 e 15 de maio, foi muito bonita e muito concorrida, repetindo grandes momentos das festas passadas.
Bandas de renome fizeram a festa para os jovens e coroas...

No dia 13, aconteceu a tradicional Alvorada, as 5 h da manhã com fogos e filarmônica na rua,  a Missa Campal e a Chegada da Bandeira às 11 horas; a seguir, o prefeito Almino Viana, acompanhado da comitiva do governo, representada pelo deputado federal Paulo Magalhães e pelo Cel. Esmeraldino Correia Santos - Comandante do 9º Batalhão de Polícia Militar, sediado em Vaitória da Conquista,  posteriormente, aconteceu o tradicional almoço de confraternização no Espaçops Leto´s, tudo isso com o cavalheirismo  do prefeito Almino Viana. É bom frisar que o tradicional almoço de congraçamento esteve acima de qualquer expectativa, com pratos para gostos variados, regados a vinhos, refrigerantes e cerveja. A sobremesa, musse de coco, estava deliciosa e foi uma farra para os gordinhos...


HISTÓRIA  DA FESTA

A centenária festa do Divino Espírito Santo, é a principal  da região, das mais tradicionais em toda a Bahia. Do ponto de vista cronológico, comemorada há mais de um século, datando de 1878, antecede a data de emancipação do município em dois anos.

FESTA RELIGIOSA E PROFANA

Várias vezes documentada para o cinema e a tv, a festa do Divino Espírito Santo é uma das mais tradicionais da Bahia
 
A Freguesia do Divino Espírito Santo de Poções foi criada  pela Lei Provincial nº 1.848, em 16 de setembro de 1878, nomeado seu primeiro vigário o Padre Luis da França dos Santos. A festa religiosa iniciou-se em 1878, com o primeiro vigário.

Desde então, consta de novenas, revestidas de todo o aparato, apesar das queixas da população quanto a atuação de alguns padres e outras autoridades que teimam em descaracterizar a festa ao longo dos anos, sempre com bons propósitos, mas sem o devido conhecimento do que representa uma festa tradicional e a sua preservação histórica. Sem qualquer compromisso com a memória, modificam a festa em sua estrutura, comprometendo A Chegada da Bandeira, ponto mais alto da festa profana, uma réplica que homenageia os bandeirantes que fundaram o município.

DESCARACTERIZAÇÃO

No tempo da Ditadura, (1964/1984), os prefeitos, com a conivência do padre e dos civis, organizadores da festa, mandaram colocar um pelotão de "atiradores" do Tiro de Guerra local para conter a cavalaria (Chegada da Bandeira), alegando que esta seria a maneira de evitarem-se acidentes.

O pelotão desfilava à frente da cavalaria, tornando a festa grotesca, do ponto de vista plástico e tirando o brilho da cavalgada, vez que, a partir de então, o desfile evoluía a passos de cágado, andando e parando... Sem o trotar dos animais e o garbo dos cavaleiros e amazonas que emocionavam até às lágrimas e arrancavam palmas e vivas da multidão...  A Polícia Militar também foi, por várias vezes, convocada a colocar-se com seus veículos à frente da cavalaria, sob o mesmo pretexto.
 
Por último, por inspiração não se sabe de quem, um carro alegórico leva crianças trajadas de anjinhos precedendo  a cavalaria... Um verdadeiro atentado às tradições...

A Chagada da Bandeira é uma réplica histórica da fundação do município; seria óbvio que nada que descaracterizasse esta lembrança histórica fosse introduzido na plasticidade da festa...
 
Há mais de cem anos havia um pavilhão, especialmente construído e ornamentado, onde eram realizados leilões de bens doados pela população para a festa. Além disso, o pavilhão era o principal centro de encontros entre os filhos de Poções e amigos comuns.

A descaracterização da festa é uma barreira cada dia mais difícil de vencer pelas comissões organizadoras do evento, fato que vem tirando grande parte do brilho dos festejos.

Entretanto, algumas obras importantes foram realizadas, visando o conforto dos visitantes, tanto na pavimentação quanto na construção de estruturas de apoio.

Barracas, parque de diversões, muita música, muita cerveja e muito papo — Esta é a parte profana dos festejos.

A parte romântica da festa foi totalmente engolida pela necessidade de se fazer carnaval;  e isto é uma pena...

Há um movimento crescente, de parte da comunidade, no sentido de resgatar algumas tradições que a modernidade foi deixando para trás. É lógico que este trabalho demanda cuidados, mas já é um ponto de partida para o resgate reclamado por importante segmento da sociedade poçoense.

Louve-se, a iniciativa de José Onildo Fagundes Marques, que criou uma exposição fotográfica (retratando a cidade em épocas passadas) muito interessante e que recebe grande visitação durante os festejos.

CULTURA - FILHOS ILUSTRES

Muitos são os filhos ilustres de Poções que residem dentro e fora do município.

Quem na Bahia, ao falar em poesia, em arte e cultura não se lembra logo de Affonso Manta,  Carlos Napoli, Ruy Espinheira Filho, Ricardo De Benedictis, Vicente Sarno Neto, Florisvaldo Rodrigues, Dinho e Elder Oliveira?

Quem, comentando sobre cinema, teatro e TV não se refere a (Fidélis) Geraldo Sarno, Tuna Espinheira ?


Na área política, quem não se lembra do economista Rômulo Almeida, primeiro diretor da CPE - Comissão de Planejamento Econômico, precursora da SUDENE - Fernando Antonio Costa, Aloísio Euthalio da Rocha, Ernesto De Benedictis, José Carlos Rocha Lima — ex-Presidente dos Correios e da VASPEX, Crésio Rolim — ex- Superintendente do INSS na Bahia e Sergipe e ex- Presidente Nacional do INSS?

Ainda nas artes, o trabalho de memória de Eduardo Sarno, as telas de Adilson Santos, a música de Dinho Oliveira, Ricardo De Benedictis, Carlos Napoli, a família Fagundes, desde Bernardo Fagundes, o Mestre Nadinho, Antonio - Alcides - Arnaldo - Zelinho Fagundes?

TERRA DE INTELECTUAIS
Vários filmes e documentários de curta metragem foram realizados nos últimos anos por cineastas de Poções, a exemplo de Tuna Espinheira, entre outros. Além disso, dois dos seus filhos despontam no cenário nacional. O cineasta Geraldo Sarno e a Diretora do TELECINE da GLOBO - Nice Benedictis.

Poções é a cidade dos poetas, dos músicos, dos artistas plásticos, dos intelectuais, dos cérebros que tanto têm elevado o seu nome em todos os setores da vida baiana e brasileira.

PRINCIPAIS POETAS E ESCRITORES:  Affonso Manta (+), Ricardo De Benedictis,  Carlos Napoli (+), Elder Oliveira, Florisvaldo Rofrigues, Milton Pinho, Adoniran Andrade Cunha, José Onildo Fagundes Marques, entre outros.

TURISMO
A 66  km. de Vitória da Conquista, Poções tem sua vocação turística explorada ainda de forma embrionária. Apenas a Festa do Divino Espírito Santo leva milhares de pessoas ao convívio da gente hospitaleira e ordeira de Poções, mesmo assim, apresentando grande carência de infra-estrutura para hospedar convenientemente os visitantes.

A BAHIATURSA está coletando dados para iniciar os trabalhos de conscientização da população, bem como a realização de cursos de  especialização para guias, adaptação de residências para receber hóspedes, simpósios e outras ações próprias da implantação dos serviços que compõem a arte de bem receber, uma regra geral na Bahia. Diga-se de passagem, Poções ainda não tem uma rede hoteleira capaz de atender condignamente o visitante, mormente o mais exigente. Urge a construção de hotéis e equipamentos que comportem a implantação do pólo turístico...
 
A cidade dispõe de excelente comunicação, telefonia fixa e celular, boas estradas, transporte fácil e logradouros muito bonitos.

A ação política local em harmonia com a iniciativa privada para a realização do sonho do turismo começa a tomar forma e os passos mais importantes estão sendo dados nesta direção...

CALENDÁRIO DE FESTAS E EVENTOS

MAIO
Festa do Divino Espírito Santo

Festa religiosa em louvor ao Divino Espírito Santo, padroeiro da cidade. O evento transcorre entre os meses de Maio e Junho, em data móvel, tendo como referência o Pentecostes.

Durante os festejos religiosos são realizadas novenas na Igreja Matriz. Destaques para a busca do Mastro, a alvorada, com foguetório e banda de música, a chegada da bandeira, que homenageia os sertanistas e bandeirantes que fundaram o município nos idos de 1732 as Novenas, a Missa campal e a Procissão.

Na oportunidade, uma Missa campal é celebrada com grande afluência popular. Mais de 2 mil cavaleiros e amazonas desfilam até o adro da igreja e são recebidos com espocar de fogos e vivas ao Divino Espírito Santo. No último dia, sempre em um domingo, acontece a procissão do padroeiro que percorre as principais ruas da cidade precedendo a Missa que encerra os festejos.

A festa profana assemelha-se às festas de largo de Salvador e marca o reencontro de amigos e parentes que residem em longínquos rincões, que aproveitam da ocasião para importantes reencontros.
 
JUNHO
Festa de São João
Evento popular, com queima de fogueiras, apresentação de quadrilhas e forrós.
Período: 23 e 24
Local: Praça do Divino Espírito Santo e bairros periféricos
Organização: Prefeitura Municipal e comunidade

Dia do Município - 26 de junho
Evento cívico, comemorativo à data da criação do município,  concentração pública, desfile e torneios.
Período: 26/06
Local: Praça do Divino Espírito Santo e ginásio de esportes
Organização: Prefeitura Municipal

SETEMBRO
Semana da Pátria - Evento cívico, com desfile, palestras e torneios esportivos. Período: 02 a 07
Local: Praça da Bandeira e quadras de esporte
Organização: Prefeitura de Poções.

ENDEREÇOS ÚTEIS

Prefeitura Municipal de Poções - Praça da Bandeira, 02 - Centro - Tel (77) 431-1321 - Fax (77) 431-1118

Secretaria Municipal de Educação e Cultura
Av. Cônego Pithon, SN - Centro - Tel (77) 431-1423

Campo de Pouso asfaltado - Alto do Capitão

Correios - Avenida Cônego Piton, SN - Centro

Terminal Rodoviário
Avenida Juscelino Kubitscheck, SN - Pituba

Posto Telefônico - Avenida Cônego Piton, SN - Indaiá

AGÊNCIAS BANCÁRIAS
Banco do Brasil
Bradesco
Caixa Econômica Federal
01 Agência Lotérica

Hotéis - Pousadas
Pousada e Restaurante Abaeté
Avenida Juscelino Kubitscheck, 514 - Pituba
Tel (77) 431-2025

Pousada e Restaurante Aconchego - Praça da Bandeira s/nº - Centro

Fórum Prof. Raimundo Brito - Praça da Bandeira, 70 - Centro

Comunicações - Emissoras de Rádio

Liberdade FM 100.1 - Rua Coronel Alberto Lopes, 54
Tel (77) 431-1089

Rádio Bela Vista AM - ua Dulce Pazzi, 05 - Alto Bela Vista
Tel (77) 431-1135

Serviço de Alto-Falante "Voz do Gaivota"
Praça Deocleciano Teixeira, 248 - Alcance: Área urbana

PATRIMÔNIO HISTÓRICO

Igreja do Divino Espírito Santo
Praça Monsenhor Honorato Nascimento, s/n - Centro
Data da Criação: Fim do século XIX
Mantenedor: Paróquia

Prédio do Antigo Fórum - Rua da Itália, s/n - Centro
Data da Criação: Início do século XX
Mantenedor: Prefeitura Municipal de Poções

Tiro de Guerra

Agência do INSS

Agência da ADAB e DDA
 
FOLCLORE - Reisado
Louvação dos reis Magos ao Menino Jesus

Responsáveis: - Elisário Souza Campos (Grupo do Espírito Santo) Tiradentes

- Dário Evelino da Silva (Terno de Reis Servos de Maria)
Praça das Perdizes, 48 - Bela Vista

- Deusdete José Farias (Terno dos Três Reis Magos  - Rua Boa Nova, 317 - Bairro Boa Nova

- José Bispo dos Reis - Terno de Reis Santos  -
Rua São José, 383
 
PRATOS TÍPICOS
Arroz e feijão de tropeiro, canjica, cuscuz, sarapatel, buchada, viúva, fatada, vatapá , e o tradicional ensopado de bode.



Ricardo De Benedictis
Enviado por Ricardo De Benedictis em 12/08/2005
Reeditado em 22/04/2006
Código do texto: T42056

Copyright © 2005. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Ricardo De Benedictis
Vitória da Conquista - Bahia - Brasil, 77 anos
1214 textos (272330 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 14:20)
Ricardo De Benedictis