Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Sempre, não

Sempre não, mas de uns 10 anos para cá, digo que sou apolítica. Pela vergonha é que o digo. Porque não tenho a mínima vontade de participar de uma corja de politiqueiros.
E para se ser um político brasileiro basta ser corrupto, safado, mentiroso, ladrão, oportunista, em suma, basta ter o pior caráter.
 
Estamos devagar e sempre, indo para uma linha, por enquanto simulada, de ditadura. Nosso País em prol dos governantes, sempre lança o lema do progresso. Como eu disse, em prol dos governantes. Porque eles estão progredindo, estão cada vez mais coesos naquilo que os faça senhores absolutos de uma nação e do erário público.
 
Não somos brasileiros cultos. Infelizmente a cultura em nosso país não saiu do ensino fundamental. O alfabeto não conseguiu passar da letra /efe/ do foda-se. Porque é assim que a nação brasileira está sendo tratada.
 
Que mania que o brasileiro tem de ficar se comparando aos piores países. Miram-se nos piores exemplos para justificar a aberração que  se encontra o nosso País.
 
Nossa terra tem palmeiras, tem pauleiras, tem quadrilhas, tem roubos milionários e tem brasileiros que ainda acham que isso é pouco. Vão às urnas e dão a única solução para um tremendo safado  que só finge não saber, mas que está convicto que vai governar indefinidamente; já ouviram falar do 3 (três)? Então vão prestando atenção. Há algo sendo introduzido em nossas mentes através desse número. Seria o 3º mandato? É óbvio que sim.
 
Não é só a falta de segurança que rege nossas vidas. Devagar e sempre estão faccionando os órgãos públicos para que possam comandar a massa trabalhadora, ainda na inércia, sem que a maioria não perceba. Exemplo concreto - IBAMA -  e outros mais... Para dar salários que serão revertidos ao partido (10% do ganho bruto) o governo divide os órgãos e os autentica delegando poderes a pessoas tão despreparadas quanto o governante do País. Para quê estudo? Para quê cultura? Quanto mais o povo tem cultura, mais difícil será ludibriá-lo. E como ser ditatorial numa nação que sabe o que é cidadania? Estamos vivendo a década do massacre. E o que mais me incomoda é que foi uma luta quase que corporal para que isso acontecesse...
 
Será que estamos dopados? Onde anda o nosso patriotismo? A nossa inteligência? A nossa vontade de sermos brasileiros justos e corretos? Ou será que por debaixo dos panos, vamos saindo para outros lugares em busca de melhores condições? Nossa terra é esta. Nosso País não pode ficar à mercê da bandidagem. Quantas catástrofes, ainda teremos que engolir, para que o desgoverno se mantenha? Fora com ele... Quero minha brasilidade de volta... Estou enojada de tantos inescrupulosos regendo o nosso Brasil.

Um dia espero que a história mude para melhor.
Não sou política, nunca serei. Mas sou brasileira e não vou deixar de sê-lo por nenhum sacana que acha que pode borrar o meu solo, a minha Pátria.  Fora, já!
Dora Leal
Enviado por Dora Leal em 28/08/2007
Código do texto: T628247

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Dôra Leal). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Dora Leal
Belo Horizonte - Minas Gerais - Brasil
509 textos (25900 leituras)
1 e-livros (38 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/10/17 14:47)
Dora Leal