Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Nada Sou, Nada Ser

Caminhando pelo nada de minha alma, encontro algo despido de tudo.

Este sou eu, no nada, em busca de algo, encontrado mais do mesmo nada do qual desejo livrar-me.

Livrar-se de nada, quando nada se é, quando nada se tem, parece querer e buscar livrar-se de si mesmo.

Algo num passado distante me lembra que algo poderá vir num futuro distante. Mas o nada desse interregno me atormenta a alma despida de tudo e preenchida de nada.

Conto passos imaginários em direção ao sonho desejado, mas sequer sonhado.

Na distância de um passado inexistente, busco um lapso de felicidade que me contente ante a espera de algo que não sei o que é, nem mesmo se virá.

Preciso de algo que não encontro, até mesmo por não saber o que é. Acho que preciso de mim mesmo. Mas preciso ser quem eu preciso ser, para que meu ser sinta-se completo em ser, não precisando mais ser o ser em busca do próprio ser.

Minha alma sangra, ferida por algo que não se vê e não se sente. Mas fere de morte a alma e o corpo, que precisa da alma intacta para sobreviver às agressões contínuas do vazio da alma.

E em meus passos imaginários eu sigo, levando o nada que me habita, para o lugar algum que me espera.
Jefferson Andrade
Enviado por Jefferson Andrade em 23/10/2007
Código do texto: T705713

Copyright © 2007. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Jefferson Andrade
Curitiba - Paraná - Brasil, 38 anos
151 textos (8488 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/08/17 10:15)
Jefferson Andrade