Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O estudante servil

É espantoso como o ser humano adora ter um senhor, na figura de um ser divino ou humano, como pai, tutor ou protetor. É só alguém estar disposto a cumprir o papel de dizer ao outro o que sentir, pensar e fazer na vida que logo ele encontra seguidoras e servidores fiéis.

A relação de alteridade baseada na igualdade ontológica, ou seja, naquilo que cada um é, parece algo a ser evitado a qualquer preço, haja vista que essa modalidade de interação humana requer liberdade, responsabilidade e, sobretudo, que cada um seja senhor de si.

Até no ensino superior a relação de suserania e vassalagem parece forte. Poucos estudantes desse nível de ensino compreendem que assumir-se de forma autodeterminada e livre, mas também séria e compromissada, é o real caminho para o desenvolvimento pessoal.

Preferem, quase sempre, a comodidade de ser mandados, amam a tutela da nota e da presença, adoram ser pensados e administrados, em lugar do desconforto de tomar as próprias decisões, fazer a própria história, caminhar com as próprias pernas. Parecem ainda na fase infantil, em que os adultos têm de conduzir-lhes os gestos, passos e ações. Fora do controle da nota e da presença, pouco fazem.

Mas esse tipo de estudante servil é um perigo. Em nossas universidades estão aqueles que, amanhã, tomarão às mãos as rédeas da condução do país. Como esperar que sejam livres, autônomos, autodeterminados e senhores de si quando na gestão dos destinos de nosso povo? Saberão eles o que é soberania? Terão condições de respeitar e de se fazer respeitar, vivendo relações fundadas na alteridade dos iguais, responsáveis e cientes das próprias decisões? Tenho lá minhas dúvidas.

Melhor seria se, em vez de estudantes servis, aceitassem o desafio daquele professor que lhes instiga: façam-se a si mesmos! Eu, professor, sou passageiro. Mas vocês nunca conseguirão se livrar de vocês mesmos. É bom que assumam o seu “si mesmo” desde já.

Penso que isso é fundamental para termos uma nação brasileira verdadeiramente adulta e madura para enfrentar a contento os desafios que o Brasil nos coloca a cada dia.

Sinceramente, acredito nisso e não consigo encontrar outra forma que me pareça mais razoável. Resta saber se os estudantes conseguem ver o que isso implica e o que requer de cada um.

Estudantes, acordem!!!
Wilson Correia
Enviado por Wilson Correia em 24/10/2007
Reeditado em 27/10/2007
Código do texto: T707714

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para a obra original). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Wilson Correia
Amargosa - Bahia - Brasil
1192 textos (542549 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/17 11:50)
Wilson Correia