Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

 Sobre a Igualdade entre os homens

 

 

 

             Igualdade - segundo os dicionários  em geral é a qualidade ou estado de igual. :– que tem a mesma aparência, estrutura ou proporção. Idêntico. Um é o outro. Como gêmeos univitelinos. Mas o conceito de igualdade é variável conforme a natureza do que se quer comparar. Ser igual não é ser o outro. É ser tal e qual na aparência e na essência. Considerando–se a igualdade  a olho nú, é possível.Mas, analisando cada item da suposta igualdade se torna impossível encontrar dois corpos exatamente iguais. Nem dois seres. São análogos. Semelhantes. Mas nunca iguais. Haverá sempre um fator para estabelecer a diferença.

            O ser humano é um indivíduo particular e único. Entre si o homem tem semelhanças, nunca igualdades. Há um ditado popular que diz: os dedos da mão não são iguais. Nem entre si nem entre uma mão e outra. Não existe um único ser humano que seja exatamente igual ao outro.

            Sempre se considerou que dois elementos tornavam os homens iguais: o nascimento e a morte. A morte continua a mesma: todos nós morremos e não tem jeito de mudar isso. Pelo menos nesta altura do desenvolvimento científico.Mesmo que o caminho que leva a morte de cada um seja diferente, o ato final, o encerramento da vida, aquele momento em que tudo para, é igual. O destino do homem é igual. Mas até para o início da vida já existem alternativas O ato de fecundar, embora ainda possa ser considerado o mesmo, já apresenta cientificamente variações. E a clonagem não é mais uma possibilidade, é uma probabilidade. Mas, mesmo os clones nunca conseguirão ser um exatamente igual ao outro. Porque não viverão no mesmo lugar, no mesmo ambiente e nem no mesmo tempo. Não passarão pelas mesmas experiências. Porque o homem não é apenas o seu ser físico.É também o ser moral e o espiritual.

              A desigualdade entre os homens pode ser observada dentro de uma família, que é o microcosmo da sociedade e da humanidade. Não existem irmãos iguais. O mais velho nunca é educado como o mais novo, mesmo sendo educado pelas mesmas pessoas Homens não  são educados como as mulheres o são. As pessoas estão em constante mutação. Elas adquirem experiências que as vão transformando paulatinamente e o efeito desta transformação reflete em seu ambiente. Pessoas não são ilhas e são afetadas de maneira diferente pelo meio que a cerca.

              Mas, dentro daquilo que é o que acredito na vida e que tenho observado ao longo da História, o homem sonha com a igualdade. Pelo menos o homem sonhador, o que idealiza a vida e acredita na  existência de um Criador.O homem que consegue descobrir quem é ele próprio. Ele sabe quem é e gostaria que todos soubessem para que houvesse um mundo mais justo. O homem tenta pelo menos no aspecto social criar elementos que façam com que  toda a humanidade tenha  direitos iguais. E embora isto seja uma utopia criam-se leis que garantam a todos as mesmas oportunidades de ter uma vida boa e completa. Os homem deveriam ser todos iguais frente as oportunidades. Direitos.  O direito de viver e cuidar da vida atendendo a todas as suas necessidades básicas. O que fazer com estes direitos porém deve ser problema de cada um. Porque um dos direitos mais fundamentais ao homem é o direito de livre arbítrio. O direito de escolha. O direito de decidir o que fazer com sua vida. Mas também o direito de saber o que e porque está fazendo esta escolha. Isso porque cada um de nós é um indivíduo. E a busca desta individualidade deveria ser a meta de cada um de nós. Por causa desta individualidade, livres das máscaras que nos são impostas  e que inconscientes aceitamos, é que nenhum homem é igual ao outro. Embora seja a busca da individualidade  o caminho para a igualdade entre os homens. Porque cada ser humano, no decurso de suas muitas vidas, ao buscar a individualidade  estará se aproximando cada vez mais do arquétipo humano. 


Lavras, 10 de janeiro de 2006.

 

 

 

 

Maria Olimpia Alves de Melo
Enviado por Maria Olimpia Alves de Melo em 30/10/2007
Reeditado em 16/05/2010
Código do texto: T716918
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome do autor e o link para http://marilim.net). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Maria Olimpia Alves de Melo
Lavras - Minas Gerais - Brasil
1107 textos (324130 leituras)
1 e-livros (258 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/10/17 02:29)
Maria Olimpia Alves de Melo