Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

SEXO VERSUS SEXUALIDADE

No dia a dia e no decorrer das nossas vidas, em todas as esferas em que atuamos, sejam  pessoais, profissionais ou familiares, o tal assunto sempre vem a tona.
Por mais que o encaremos com naturalidade, na verdade o tema ainda enfrenta tabus e gera muita polêmica.
Ainda nesses dias, alguém comentava uma propaganda do MINISTÉRIO DA SAÚDE,  em alerta ao dia internacional da AIDS que foi simbolizado ontem, no qual uma mãe recebe a filha "em casa" de namorado "novo" e os presenteia com preservativos.
E em seguida alguém logo questiona: "Você não esperaria uma atitude dessas por parte dos seus pais, esperaria? Então providencie os preservativos."
Entrei na calorosa discussão, mas antes já havia parado para analisar a tripla mensagem da propaganda.
Primeiramente, o objetivo de prevenção, o que é necessário e  louvável.
Mas logo em seguida entendi a mensagem em que "mais um " namorado em casa, ainda que "novo", aonde dava-se a  entender..."outro?"...", estaria naturalmente liberado pelos pais, desde que o casalzinho providenciasse as devidas "camisinhas".
Novamente me questionei como mãe, e me senti meio extraterrestre.
Mas na verdade, pelo que tenho observado nos pais da nossa geração, uma geração que apesar de jovem não viveu toda essa liberdade de exercício do sexo, e que muitas vezes ainda não conceitua  claramente sexualidade, tem tido muita dificuldade em lidar com a questão.
Os pais têm medo de serem encarados como retrógrados ou demodês, e muitas vezes encenam um papel que não lhes cabe com tanta naturalidade.
Acreditam que a "liberação" sem sinalizações, resolveria a questão e evitaria conflitos. Querem dar aos seu filhos a liberdade que não tiveram...mas com a qual também não sabem lidar.Apenas fingem que sabem.
E hoje, sabemos que os jovens iniciam-se muito cedo na vida sexual, e além dos riscos de doenças-pois funcionam sempre movidos pelo "pensamento mágico", porque com eles "nada nunca vai ocorrer"- temos como consequência o grande problema da gravidez na adolescência, que tantos problemas fisicos, emocionais e socias têm gerado.
Ocorre que, a despeito da brilhante iniciativa da educação sexual nas escolas, os adolescentes e mesmo adultos que já seguem pela maturidade, muitas vezes têm o falso conceito de que a sexualidade se exerce apenas através do ato sexual , da sua diversidade e da sua quantidade.
A sexualidade diferencia-se e transcende em muito o ato físico.
Envolve a identificação mais profunda de si e  dos seus  sentimentos, na busca e na troca mútua de prazeres.
A sexualidade é exercida de forma plena quando a alma também pede e se satisfaz.
Nós seres humanos somos movidos a diversos prazeres, e não é apenas no prazer do ato sexual que se exercita e se define a sexualidade.
Hoje, o sexo virou produto de consumo. Há sexo em tudo, para qualquer ocasião, por qualquer meio.
Desde as vendas de automóveis até às vendas de chocolates!
E o que se nota, é que apesar da facilidade com que se tem sexo, as pessoas estão cada vez mais insatisfeitas...mais sozinhas.
E quando se identifica e se exerce a sexualidade de forma consciente e madura, seria um paradoxo sentir-se insatisfeito e só.
Porque a sexualidade bem exercida nos traz felicidade, aconchego, plenitude...paz.
Conheço vários casais octagenários, que a despeito de já não praticarem  relações sexuais, exercem a sua sexualidade de forma plena, satisfatória e prazerosa, estando cada vez mais próximos, inclusive de si mesmos.
Porque há sexualidade no olhar, nos gestos, nas palavras, nos toques...no aconchego dos abraços...no aperto das mãos...
É isto que precisamos mostrar aos nossos filhos e alunos.
Sinalizá-los para que se iniciem "no amor" de modo a respeitarem o seu todo, no prazer pleno de unir os corpos aos sentimentos que os extrapolam...
MAVI
Enviado por MAVI em 02/12/2007
Reeditado em 03/12/2007
Código do texto: T762240

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
MAVI
São Paulo - São Paulo - Brasil, 57 anos
5444 textos (340785 leituras)
993 áudios (87032 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 18/10/17 04:25)
MAVI