Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Palavras II


Chorar –chorei – cantar – cantei – nem sei – a vida assim – falar de mim – perdido estou – no amor – sem fim.


Livre – de ti – não de mim – perto de ti – longe de mim – louco – pouco – oco.


Um mar por cima – coisas assim – ondas que vai – e às vezes não vem -  bate coração – alma não – folia – de dia – qualquer santo – São Jorge –me livre – deste dragão.


Colocar – colei – chegar – cheguei – cola – colar - que quebrei – cacos – do lado – de quem não amei.

Uma andorinha só faz um verão particular.

Chegar mais cedo – antes do torpedo.

Um celular – bola de ferro a nos vigiar.

Um celular – algema de prata a nos juntar.

Um celular – à distância – a nos perturbar.

Um celular – cada vez mais – contas a pagar.

Um celular- não tem valor – a conta que gera desamor.

Televisão – tudo pronto – não precisa pensar – basta olhar – o que a criatividade dos outros a nos castrar.

Televisão – tal arpão a nos fisgar. Não percebemos – quando é hora de parar.

Um livro na mão – mais que um irmão – a nos alertar. Não precisa andar com ele debaixo dos braços querendo mostrar.

Um livro não precisa de quem quer que seja a nos obrigar. Ele tem por si só a magia de contagiar.

Um homem forte – forte na maneira de entender. Um homem forte - forte na maneira compreender.  A fortaleza rui – quando não se tem consciência do que se é.
atanazio mario fernandes Lameira
Enviado por atanazio mario fernandes Lameira em 04/02/2006
Código do texto: T107888
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
atanazio mario fernandes Lameira
Laguna - Santa Catarina - Brasil
364 textos (12407 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 10:29)
atanazio mario fernandes Lameira