Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Então vá.

Pode ir, sem medo, sem culpa, sem dor.
deixe seus medos e suas angústias e siga seu coração, não vou te impedor, não vou te condenar.
Se quer voar, voe. Abra as suas asas e deixe o vento lhe tocar o rosto, nem que seja pela última vez, mas viva, você não sabe o quanto isso pode durar.
Se quer correr, corra. Deixe tudo pra trás, não tem minha objeção. Aquilo que lhe da e deu medo não vai te alcançar, pode ter certeza.
Seja você e sinte você, sua alma e sua e de mais ninguém, não vai ser um quem vai te segurar.
Caia no precipício da vida,e curta a queda, não se sabe se vai sobreviver ao chão ou ao que vem depois dele, então viva.
Te deixo em paz para seguir sua paz, e te deixo livre para a sua liberdade, como sempre foi, como sempre será.
Todos os caminhos não tem volta e todas as estradas levam a algum lugar, basta você andar.

Só me façaum enorme favor: Seja feliz!
Bardo de Solia
Enviado por Bardo de Solia em 21/09/2007
Código do texto: T662273

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Bardo de Solia
São Paulo - São Paulo - Brasil, 28 anos
112 textos (5145 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/17 07:25)
Bardo de Solia