CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

Peripécia e Reconhecimento

Alguns alunos se confundem nessa questão. Não raras vezes, acabam por inverter uma pela outra.
Acho que isso se deve pelo fato de, por serem universitários, querem sempre colocar dificuldade nas coisas, complicando algo desnecessário.
Sendo assim, cá estou eu para tentar simplificar ao máximo grau essa parte.
Acompanhem-me.
Peripécia é o INESPERADO. Você pensa uma coisa e acontece outra, por exemplo:
[Aos homens]
Você está numa balada e vê A garota. Vai até ela, bate O xaveco e ela aceita ir brincar de médico com você (onde, espero, que você seja o médico).
Chegando lá, o senhor, doutor médico, começa os estudos aplicados de anatomia na paciente doente.
Eis que, analisando a geografia dos países baixos... Vixi! Quem é esse? Quando ele foi convidado?!
O nosso grande jogador: o excelentíssimo senhor Ronaldo, já se deparou com uma peripécia escandalosa (não sei se era grande ou pequena... Prefiro continuar sem descobrir).
[Às mulheres]
Na mesma balada do homem, se depara com O homão 4x4, fração nas quatro rodas, com turbo extra em cada parafuso.
Percebe seus olhares, e um imã é ativado, sugando os dois para mais próximos.
Conversa vai, conversa vem, eis que surge a oportunidade do vampiro chupar alho. Você se aproxima mais do músculo a sua frente e é afastada bruscamente com o dizer: “Eu tenho alergia a vaginas”.
Como Robert Pattinson disse uma vez a uma revista... Vai entender, né?
Agora, vamos para o reconhecimento.
Como o nome já diz, reconhecimento é o RECONHECIMENTO de algo [uau!].
Você tem o reconhecimento de algo ao tomar consciência do que estavam falando, acontecendo etc. Por exemplo:
[Aos homens]
Numa roda de amigos, um deles te diz: “A secretária do Jorjão está louca por você.”
Opa, bacana... Mas quem é a secretária do Jorjão? Pelo que sabemos, ele deve ter umas 150 milhões de secretárias (um super hiper mega harém?!).
“Sem problema”, seu amigo fala. “Ela vai estar na balada do Jorjão de hoje.”
Alegre, feliz, leve e saltitante (parecendo uma gazela), ele chega à balada e se junta aos amigos, que lhe mostram a garota.
Olha bem na moça e vê que ela está caindo de amores por outro rapaz.
“Chegou tarde, amigo.”, o amigo diz, “O Fenômeno chegou primeiro.”
No momento em que você descobriu quem era a mulher, você teve um RECONHECIMENTO. Na hora em que viu que ela não seria mais sua, como esperava, mas de outro, você conseguiu uma peripécia.
Que se tornará outra peripécia para alguém...
[Às mulheres]
Chegando numa vidente, ela pega sua mão, olha, cheira, beija, lambe... Pega umas cartas de tarô, fala algumas palavras quaisquer e sem nexo, finge um ataque de epilepsia, olha fundo nos seus olhos e diz: “Você vai encontrar o homem da sua vida em um acidente ao sair daqui.”
Você fica na cabeça: “Que acidente será?”, “Quem sofrerá o acidente?”, “Quem será essa vítima?”, opa, quero dizer, “Quem será esse rapaz de sorte?”
Pensando nisso, esquece-se de tudo a sua volta, atravessa a rua e quase é atropelada por um carro.
Então, das profundezas das trevas, sai do carro o Robert Pattinson e você se apaixona perdidamente com ele e diz: “Então ESSE é o cara da minha vida!”
NESSE EXATO MOMENTO, você teve TRÊS reconhecimentos. Você descobriu qual seria o acidente,  com quem seria e quem era a tal pessoa que a cartomante falava...
Pelo menos até chegar à balada e ouvir que ele tem alergia a sua amiguinha...
Finalizando:
Ao entender, ou descobrir o que está acontecendo, temos um RECONHECIMENTO.
Se o reconhecimento não for o que estávamos esperando, cria-se a PERIPÉCIA.
Espero ter sido útil.
Jowjow
Enviado por Jowjow em 18/06/2010
Código do texto: T2326375

Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre o autor
Jowjow
Birigui - São Paulo - Brasil, 22 anos
39 textos (17297 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 19/04/14 17:48)