Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O Português Da Gente: A Língua Que Estudamos, A Língua Que Falamos.

 RESUMO

ILARI, Rodolfo; BASSO, Renato. O português da gente: a língua que estudamos, a língua que falamos. São Paulo: Contexto, 2006. p. 151-196.

Os professores universitários, Rodolfo Ilari e Renato Basso, publicaram em 2006 o livro O português da gente. O primeiro atua como diretor da Revista ABRALIN, o outro atualmente estuda a formação do português brasileiro e a semântica dos indexicais. No capítulo Português do Brasil: a variação que vemos e a variação que esquecemos de ver, os autores além de desenvolverem suas teorias à cerca de quatro variações que ocorrem na língua: diacrônica, diatópica, diastrática e diamésica, também abordam a discussão sobre o fato do português do Brasil ser ou não ser uma língua uniforme.
A variação diacrônica é aquela que evidencia a mudança na língua ao longo do tempo. As línguas têm uma história externa e uma história interna. A primeira, diz respeito às variações que ocorrem ao longo do tempo em relação às suas funções sociais. Já a segunda, diz respeito às variações que vão ocorrendo em sua gramática: fonologia, morfologia, sintaxe, semântica e em seu léxico. A variação diacrônica pode ser percebida pelo uso de gírias, expressões, gramaticalização e lexicalização.
A variação diatópica é aquela cujas diferenças são apresentadas no espaço geográfico. Para falar desta variação em vista das razões históricas e políticas, os professores compararam o Português Europeu do português do Brasil, já que a língua de Portugal é sempre a mais reconhecida. Ainda fazem referência sobre o atlas linguístico, um meio usado para demarcar a ampliação das variedades regionais.

A variação diastrática é aquela diferença entre o português falado, que implica a questão social por parte do indivíduo. Essa diferença é notada por níveis de escolaridades.
A variação diamésica está associada ao uso de diferentes meios de expressão ou veículos que a língua utiliza. Esta variação... [continua]

_____________
Anais do SIELP. Volume 2, Número 1. Uberlândia: EDUFU, 2012. ISSN 2237-8758]

A LÍNGUA QUE FALAMOS: UM ESTUDO SOBRE AS VARIANTES FONÉTICAS
DO PORTUGUÊS NA FRONTEIRA TABATINGA (BRASIL)-LETÍCIA
(COLÔMBIA)
Marcilene da Silva Nascimento CAVALCANTE
Instituto de Natureza e Cultura - Universidade Federal do Amazonas
E-mail: marciletrasbc@hotmail.com
http://www.ileel.ufu.br/anaisdosielp/pt/arquivos/sielp2012/360.pdf
.http://www.ileel.ufu.br/anaisdosielp/pt/arquivos/sielp2012/360.pdf
Enviado por J B Pereira em 10/10/2013
Código do texto: T4520083
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
J B Pereira
Piracicaba - São Paulo - Brasil
774 textos (218604 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/14 03:12)



Rádio Poética