Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

CONCORDÂNCIA VERBAL (4)

____________________________________________

Sujeito Composto

 

Caso o sujeito tenha mais de um núcleo (sujeito composto), a concordância deverá ser feita da seguinte forma:

SUJEITOS ANTEPOSTOS AO VERBO – Quando o sujeito composto estiver anteposto ao verbo, este vai para o plural:

   O trator e o caminhão saíram da estrada.

   A mão de obra e o material subiram de preço.

Mas atenção: Há casos em que, mesmo com o sujeito anteposto, o verbo pode ficar no singular. Entre esses casos podemos destacar três:

1º. Quando os sujeitos forem sinônimos ou formados de palavras de sentido aproximado, o verbo pode concordar no singular ou no plural:

   Advogado e membro da associação afirma(m) que ela é corrupta.

   Medo e temor nos acompanha(m) sempre.

2º. Quando os sujeitos se dispuserem em sequência gradativa, o verbo pode concordar no singular ou no plural:

   Uma brisa, um vento, o maior furacão não nos inquietava(m).

3º. Quando os sujeitos vierem resumidos por tudo, nada, ninguém, alguém, cada um, fica o verbo no [singular], mesmo que entre os sujeitos haja algum ou alguns no plural:

   Festas, piadas, cócegas, nada o fazia rir.

   Socos, murros, tapas, pontapés, tudo saiu na festa.

SUJEITOS ANTEPOSTOS DE PESSOAS DIFERENTES - Se os sujeitos forem formados por pessoas gramaticalmente diferentes, o verbo concordará com a pessoa que tiver primazia na seguinte escala:

a) 1ª e 2ª ou 1ª e 3ª / 1ª, 2ª e 3ª — o verbo vai para o plural na [1ª]: Eu e Você (nós) passaremos. / Eu, Tu e Ele (nós) sairemos.

b) 2ª e 3ª — o verbo vai para o plural na [2ª ou na 3ª]:

   Tu e ele (vós) sereis salvos. / Tu e ele (eles) serão salvos.

   Ela e tu (vós) caístes do cavalo. /Ela e tu (eles) caíram do cavalo.

Convém observar que na linguagem contemporânea do Brasil não é usual a sintaxe [2ª (tu) + 3ª (ele) = vós]. Entre nós, como já observamos, o uso corrente culto, tanto oral como escrito, inclina-se para a concordância na terceira pessoa, ou seja, a substituição de [2ª, tu] por [você, ele, 3ª] e de [vós] por [vocês, eles], como, por exemplo, nesta frase de Coelho Neto: Juro que tu e tua irmã (vocês) me pagam.

c) Na ausência de uma ou outra, o verbo assume a forma de terceira pessoa: Roberto e o milagreiro (eles) chegaram logo.

   Maria e o namorado caíram do cavalo.

SUJEITO POSPOSTO AO VERBO - Se o sujeito composto vier posposto, isto é, colocado depois do verbo, vai para o plural (concordância gramatical): Saíram da estrada o trator e o caminhão.

Ou concordará com o núcleo do sujeito mais próximo (concordância atrativa): Saiu da estrada o trator e o caminhão.

   Chegaram os filhos e o pai.

NÚCLEOS DO SUJEITO UNIDOS POR [NEM] - É um caso difícil de disciplinar; mas usa-se comumente o verbo no plural:

   Nem a riqueza nem o poder o livraram de seus inimigos.

   Nem eu nem ele o convidamos.

Todavia, é admissível a concordância no [singular] principalmente quando o verbo precede o sujeito: Não o (ele) convidei nem sua esposa.

   Não lhe valeu a imensidade do azul, nem a alegria das flores.

NOS SUJEITOS FORMADOS POR INFINITIVOS, tanto é lícito a concordância no plural como no singular:

   Apanhar e chorar faz (ou fazem) bem de vez em quando.

   Nadar e caminhar revigora (ou revigoram) o organismo.

Todavia, se os infinitivos forem [antônimos], ou se vierem com o artigo [o], concordará somente no plural: Rir e chorar são próprios do homem.

   O comer e o beber são necessários.

NOS SUJEITOS LIGADOS POR: [NÃO SÓ... MAS TAMBÉM / COMO TAMBÉM / TANTO... COMO / ETC.], o verbo concordará de preferência no plural:

   Não só a nação, mas também o príncipe estariam pobres.

   Tanto a Igreja como o Estado eram até certo ponto inocentes.

   Não eu como também meus amigos apanhamos.

NOS SUJEITOS UNIDOS PELA PREPOSIÇÃO [COM] o mais frequente é usar-se o verbo no plural, quando ambos os sujeitos estiverem em tal pé de igualdade, que se podem considerar unido por [e]: Manuel com (e) seu compadre construíram o barracão.

   Ele com (e) mais dois acercaram-se da porta.

Emprega-se (raramente) o verbo no singular quando o segundo sujeito é posto em plano inferior e se deseja dar relevância ao primeiro:

   O Presidente, com sua comitiva, chegou a Paris.

   O bispo com dois sacerdotes iniciou solenemente a missa.

O verbo no singular dá relevância ao Bispo e ao Presidente. ®Sérgio.

Tópicos Relacionados: (clique no link)

Concordância Verbal (1) – Sujeito Simples.

Concordância Verbal (2) – Sujeito Simples.

Concordância Verbal (3) – Sujeito Simples.

Concordância Verbal – Exercícios – Segunda Parte.

Concordância Verbal – Exercícios – Terceira Parte.

Concordância Verbal – Exercícios – Primeira Parte.

________________________________________

Ajudaram na elaboração deste trabalho: Cegalla, Domingos Paschoal. Dicionário de Dificuldades da Língua Portuguesa. Ed. Nova Fronteira, Rio de Janeiro, 1996. / Rocha Lima, Carlos Henrique da.  Gramática normativa da língua portuguesa. 45ª ed.  Rio de janeiro: José Olympio, 2006.

Se você encontrar omissões e/ou erros (inclusive de português), relate-me.

Agradeço a leitura e, antecipadamente, qualquer comentário. Volte Sempre!

Ricardo Sérgio
Enviado por Ricardo Sérgio em 12/10/2005
Reeditado em 10/01/2013
Código do texto: T58947
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Ricardo Sérgio
Campo Grande - Mato Grosso do Sul - Brasil, 67 anos
1281 textos (14844024 leituras)
7 e-livros (6196 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 23/10/14 00:16)
Ricardo Sérgio



Rádio Poética