CapaCadastroTextosÁudiosAutoresMuralEscrivaninhaAjuda



Texto

SAUDADES ETERNAS

Não há nada mesmo tão precioso quanto a vida, por mais que aparentemente não a valorizemos, quando nos vemos diante da possibilidade de perde-la nos desesperamos e nos agarramos a qualquer oportunidade de mantê-la, de continuar a vivê-la. E quando nos deparamos diante de alguém que a amava tanto, que vivia como se estivesses vivenciando uma festa infindável e a perde de repente podemos perceber o quanto a vida é fugaz. E esta fugacidade leva a cada dia tudo o que nos é mais precioso. Tu foste esta pessoa que amava demais a vida, e é difícil acreditar que já não mais desfruta dela, que não mais o teremos entre nós.
É muito dolorida a perda; saber que não mais o veremos, que jamais teremos a alegria da tua presença ao nosso redor. Mas sabemos que, apesar de ter partido tão novo, tu vivestes realmente. Viveu cada minuto da tua vida intensamente, mesmo que ás vezes erroneamente, mas nunca por maldade, sempre acreditando que estava fazendo a coisa certa. E hoje entendemos, aceitamos e nos tranqüilizamos porque sabemos que foste feliz! Ao mesmo tempo em que rogamos a Deus que perdoe as tuas faltas e o acolha no reino dos céus.
A tua personalidade radical sempre nos levou a altos e baixos: Ás vezes nos entristecia pela tua forma negligente de levar a vida e ás vezes nos alegrava pela alegria e a leveza com que a encarava. Mas nada nunca fez com que o laço de família que sempre nos uniu se dissolvesse.
Sabias ser feliz mesmo diante das dificuldades!
Sempre tivestes tuas idéias diferenciadas, o que o colocou em dificuldades muitas vezes, mas que também o ajudou na aceitação e resolução dos teus problemas e o levou muitas vezes a lutar pela causa dos mais necessitados, fazendo o verdadeiro papel de cidadão e de cristão. Nunca deixou seu tempo ocioso, sempre gostou de trabalhar e de ser dono do teu próprio trabalho, das tuas próprias vontades, nunca deixando que o trabalho e a sociedade o escravizassem.
Apesar das tuas idéias contraditórias, foste muito sábio na defesa de tuas idéias, e embora não concordando muitas vezes com as tuas opiniões, sempre estivemos ao teu lado, sempre o amamos incondicionalmente. E é exatamente pela tua presença tão marcante, em estar sempre conflitando, que sentiremos muito a tua falta. Esta é uma saudade incurável que traremos sempre conosco.
Não queremos lembrar de ti com tristeza, mas com alegria, sabemos que é isso que certamente queres, pois foste muito feliz, amante da diversão. Hoje estamos tristes sim, pois nos foi levado muito rápido, e levaremos algum tempo para aceitar a tua partida, para a dor sarar e ficar de ti só as boas lembranças. Desesperamos-nos, choramos e até achamos injusto que Deus o tenha levado tão cedo e tão abruptamente, mas no fundo sabemos que Ele sabe o que é melhor pra cada um de nós, e nós não conseguimos entender os desígnios Dele, por isso achamos tão ruim e sofremos tanto. Como seres humanos que somos o sofrimento é inevitável diante da perda e da separação. Pedimos a Deus que o acolha ao Seu lado e que console a nós que ficamos para que saibamos compreender e aceitar que sempre fazes a coisa certa, por mais que não compreendamos.
Que Deus abençoe a ti e a cada um de nós que choramos a tua partida!
Faça desta tristeza, esperança de vida eterna!


Homenagem a meu irmão Brás que faleceu dia 12/05/2008
Virginia de Santana
Enviado por Virginia de Santana em 29/05/2008
Código do texto: T1010851
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.

Comentários

Sobre a autora
Virginia de Santana
Anísio de Abreu - Piauí - Brasil, 32 anos
186 textos (32799 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/08/14 19:00)