Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

UM TRIBUTO A MONTEIRO LOBATO


Nadir Silveira Dias


José Bento Monteiro Lobato, criador do personagem Jeca Tatu, protagonista da denúncia da miséria do caboclo brasileiro, popularizou-se a partir de louvor em famoso discurso político proferido pelo grande mestre Rui Barbosa.

Deixou uma vasta obra que pontifica as suas qualidades de escritor e de brasileiro. Ainda em 1946, revisou a publicação de suas Obras completas, editadas pela Brasiliense, em treze (13) volumes.

E para mera lembrança ou ciência, são elas: Urupês (1918), Idéias de Jeca Tatu (1919), Cidades Mortas (1919), Negrinha (1920), A Onda Verde (1921), O Macaco que se fez Homem (1923), Mundo da Lua (1923), O Choque das Raças ou O Presidente Negro (1926), Mr. Slang e o Brasil (1929), Ferro (1931), América (1932), Na Antevéspera (1933), O Escândalo do Petróleo (1936), além de Prefácios e Entrevistas, Miscelânea, e um volume de correspondência, A Barca de Gleyre.

Além disso, juntamente com a sua própria produção de literatura infantil, traduziu e adaptou para crianças clássicos mundiais como O Engenhoso Fidalgo Dom Quixote de la Mancha, Gulliver, Robinson Crusoé, dentre outros, o que bem caracteriza o seu notável trabalho em prol da literatura nacional.

Integrou o rol dos escritores que constituiu a renovação na literatura ao elencar a realidade brasileira como objeto de sua arte, como também o faziam Euclides Rodrigues Pimenta da Cunha (Cantagalo, RJ, 1866 – Rio de Janeiro, RJ, 1909) e José Pereira da Graça Aranha (São Luiz, MA, 1868 – Rio de Janeiro, RJ, 1931), no sentido de ver, sentir, dissecar e criticar os efeitos dos problemas sociais e morais do país.

Por isso mesmo, com toda a pertinência, houve tempo em que o Dia do Livro (em todas as suas modalidades) era comemorado em 18 de abril. E com muito mais entusiasmo!

Uma merecida referência ao nascimento do afamado escritor brasileiro (Taubaté, SP, 18.04.1882 – São Paulo, 05.07.1948).

Tanto é importante que se transformou no Dia Nacional do Livro Infantil, nos termos da Lei n° 10.402, sancionada em 08 de janeiro de 2002, pelo então Presidente da República:

LEI Nº 10.402, DE 8 DE JANEIRO DE 2002
Institui o Dia Nacional do Livro Infantil.
O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1° Fica instituído o Dia Nacional do Livro Infantil, a ser comemorado, anualmente, no dia 18 de abril, data natalícia do escritor Monteiro Lobato.
Art. 2° Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.
Brasília, 8 de janeiro de 2002; 181° da Independência e 114° da República.
FERNANDO HENRIQUE CARDOSO
Paulo Renato Souza
Francisco Weffort

E o poema 18 de ABRIL enaltece o livro e a sua presença viva na vida de todos nós. Encontra-se no livro Rastros do Sentir, edição do autor, 1997, Porto Alegre, e em inúmeras outras publicações (1997-2005).

Mais recentemente, no entanto, são três as datas em que se comemora o Livro, a saber, em correlata matéria: ABRIL É O MÊS DO LIVRO.


Escritor e Poeta – nadirsdias@yahoo.com.br
Nadir Silveira Dias
Enviado por Nadir Silveira Dias em 14/04/2006
Código do texto: T139260
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Nadir Silveira Dias
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil
1036 textos (153768 leituras)
4 e-livros (380 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 06/12/16 01:13)
Nadir Silveira Dias