Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Anatomia de mãe

Certa vez ouvi uma afirmação
que me despertou a curiosidade
que me fomentou a vontade do dissecar
( ainda que literalmente) o significado da palavra
Pra entender a condição.
__ Ela não é humana! Ela é mãe!

Ora meu Deus! Ser mãe não é ser humana?
O que é ser mãe? Senão ser a mais humana de todos os humanos?
Era preciso provar cientificamente , que ser mãe...
È ser humana!

Pensei em ANATOMIA! Era a prova ideal.

Pensei nos olhos de mãe.
Ah... os olhos de mãe... são translúcidos
Refletem alma da maternidade
Enxergam beleza física e espiritual de sua cria,
mesmo que outros não a vejam
Mesmo que ela, a beleza não exista,
Olhos de mãe... enxergam beleza onde ela é invisível
Olhos de mãe... enxergam o futuro,
É quando ela usa do amor mais puro
Enfrenta o sexto... o sétimo sentido
E é capaz de estar um passo adiante do fato
Antes que ele aconteça
Pra evitar que sua cria pereça.

Pensei nos ouvidos de mãe.
Ah.. os ouvidos de mãe...
são capazes de ouvir durante o sono mais profundo,
o choro minguado da cria dependente
os ouvidos de mãe...
ouvem da cria , o canto desafinado
e conseguem  enquadra-lo na mais perfeita sinfonia.
Tudo é lindo aos ouvidos de mãe.
Eles ouvem pensamentos,
Eles escutam lamentos
Eles identificam o som disperso dos passos
De sua cria ao cair, ao levantar,
ou do corpo quando adormece ao deitar.

Pensei no nariz de mãe!
Ah... o nariz de mãe...
ele consegue sentir o cheiro do perigo
ele consegue definir no hálito de sua cria
a mentira ou a verdade...
eles tem uma capacidade...
de superar qualquer dificuldade e em sã consciência ,
mesmo sem o auxilio dos olhos,
mesmo sem a mascara do perfume que vicia
saber o cheiro de sua cria.

Pensei nas mãos de mãe!
Ah... as mãos de mãe... são milagrosas
Suas palmadas não doem ,
O que faz doer é saber que dói mais nelas do que em nós.
As mãos de mãe na cozinha... Meu Deus!
São incomparáveis...
Magníficas...
As mãos de mãe curam a dor!
As mãos de mãe, quando seguram as de sua cria
No exercício da escrita,
No atravessar a rua...
No andar na calçada...
Enchem o mundo de emoção...
Recriam a criação.

Pensei nas pernas de mãe.
Que sustentação tem as pernas de mãe!!!
Elas nunca perdem o colo
Se a idade da cria avança
Junto com ela o colo alcança
O poder de manter sempre alerta
O ninar, se for preciso
Por mais que seja crescido
O filho, a filha, o companheiro, o pai....
No colo da perna de mãe
Todo problema se esvai.

Pensei no peito de mãe.
Senti um arrepio ao pensar assim
Lembrei-me imediatamente
Do que eles significaram pra mim.
Abrigaram minha cabeça,
Alimentaram meu corpo
Acalmaram-me a fome
No peito de minha mãe
Eu conheci o destino da mulher
Eu enxerguei a  sina do homem.
 
Pensei no cérebro de mãe.
Ah... o cérebro de mãe.
Funciona como um rastilho
Tem mil e mil pensamentos ao mesmo tempo
Com um único foco
O cérebro de mãe funciona
Numa corrente com o cérebro do filho

Foi então que pensei no coração de mãe!
Desisti de minha busca anatômica
Nada que eu pudesse questionar
Tinha aquela dimensão
O que a mãe trás consigo
Abrigada no peito
Em forma de coração, calaram os versos meus
Coração de mãe... é a lição concretizada
Do poder supremo de Deus!

Marluci Brasil
Enviado por Marluci Brasil em 28/04/2006
Código do texto: T147058
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Marluci Brasil
Corumbá - Mato Grosso do Sul - Brasil, 61 anos
60 textos (4679 leituras)
6 áudios (870 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 15:03)
Marluci Brasil