Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Canto à Mãe Terra



De ti, sinto está força que move.

Me movimento por teus campos dourados

Absorvendo no meu interior silencioso

Tua aura de luz que renova a vida

Por ti, dou graças ao Criador

Que mesmo preocupado  com a imperfeição  humana

Na conservação do seio que o alimenta

Permite que minha alma brinque

Pura e ingênua diante dos olhos devoradores

Dos que não te querem viva

Em ti, busco a harmonia que  equilibra

Desejando vivenciar a calma do desabrochar de tuas flores

E tendo por alimento o orvalho da madrugada que alimenta o corpo

E a luz do sol que aquece a alma.

Sinto de ti, a paz que  aquieta

Preenchendo os vazios doloridos dos discernimentos

Com a ternura da consciência do nada sei, do  nada sou diante de ti.

Quando no Bardo os olhos fecharem

Me  abençoando com a visão de novos campos

E do pulsar do corpo, nada restar.

Alem da vontade de te saudar

Quando a voz calar sem à aflição do som incompreendido

Serei agradecida pelo teu direcionamento iluminado

Abrindo as fronteiras dos horizontes

E permitindo que eu adentre teus segredos

Que  são  desvendados aos que a ti pertencerem

Sem as  limitações físicas.

E quando integrada a ti

Nos tornarmos  unas com a mente  do Criador

Cantarei a ti, Mãe Terra.

A paz do retorno ao teu ventre  amado

Buscadora
Enviado por Buscadora em 30/04/2006
Código do texto: T147648
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Buscadora
Imbituba - Santa Catarina - Brasil
57 textos (3886 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 09/12/16 15:58)
Buscadora