Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Profissão: Mulher, Mãe, e Dona de Casa

A senhora trabalha? - Não, não, sou dona de casa !

A profissão mais difícil do mundo é ser dona de casa. A mulher trabalha, trabalha e trabalha. Não tem férias, não tem 13% salário, nunca é promovida, dificilmente recebe elogios ou é reconhecida.

Não é registrada nem recebe salário, mas tem vários patrões: Marido, filhos, as vezes até os netos dentre outros parentes que possam morar juntos.

E tem marido que fica louco da vida com a falta de vaidade da mulher, pois ele ficou trabalhando o dia inteiro e ao chegar em casa a mulher nem estava bonitinha, produzida. Enfim, nem se preparou para recebe-lo. Muitas vezes o marido quer atenção para falar dos problemas do dia, do desgaste emocional e fisico que passou. Ai entra a dona de casa psicóloga.

Mal acorda e já têm louça suja que os filhos e o marido deixaram enquanto ela estava dormindo. Prepara o café com leite, tira tudo da geladeira, depois guarda tudo de novo. Sem falar das que vão até buscar o pão na padaria. Lava a louça, enxuga, guarda tudo, varre o chão. Depois vai arrumar quartos, guardar roupas, dar uma ajeitada na casa.

Ufa !!

Recolhe a roupa suja. Cuecas dentro de calças ou roupas do avesso, meias encardidas de andar pela casa limpando o chão com elas. Quando vai lavar a roupa já é hora de fazer almoço. Vai pra cozinha, lava, descasca, frita, cozinha, assa, arruma a mesa, tira da mesa, lava, enxuga e guarda.

Ufa !!

Mal termina o almoço e vai fazer o café da tarde. Nem lavou a roupa e já tem que fazer a janta.
Isso tudo se repete dia após dia e parece que ninguém ao redor nota tudo que vem sendo feito.
Amor, onde está minha gravata ? Mãe cade minhas meias ? Mãe onde esta minha camisa de listras ? Mãe você não lavou aquela calça ?

Passam a vida inteira fazendo, atendendo e arrumando. Tem aquelas que conseguem até dar uma mãozinha para a nora ou o genro, ou são babas dos netos..

Ser mulher é complicado, é menstruação, gravidez, parto, cesariana, troca fraldas, leva no médico, amamenta, acorda dorme, acorda dorme, menopausa, útero com isso ou aquilo, mioma ou sisto, ou algum caroço na mama, e todas as consequências, e ainda ser dona de casa.

Nesse profissão não há muito incentivo ou motivação. Não há reuniões para decidir o que é melhor ou como fazer ou dividir. Não há subalternos, não há salário nem nada.
Apesar de tudo isso tem que haver motivação suficiente para fazer isso todos os dias, não importando se está doente ou não. Já no trabalho remunerado qualquer gripinha já é motivo pra faltar, mas a dona de casa não pode faltar, os patrões não aceitam atestado.

Quando alguém lhe perguntar o que faz, encha o peito ao dizer: “SOU DONA DE CASA”. Isso não é pra qualquer uma não.  É mais difícil do que ser secretária, médica, advogada, arquiteta, vendedora, corretora, executiva ou qualquer outra profissão.

E ainda dizem por ai que existem donas de casa que trabalham fora e não tem empregada. Não dá pra acreditar.

E tem aquelas que são tudo isso e ainda apanham do marido machista, ciumento ou bêbado. Benvinda a lei Maria da Penha.

Deveria ser criado o DIA DA DONA DE CASA e nesse dia ela deveria ganhar muitos presentes, passear, almoçar e jantar fora e tudo mais que possa valoriza-las e impedir que trabalhem nesse dia. Mas nada de decretar feriado, pois ai fica todo mundo em casa e a dona de casa trabalha mais ainda.

Dedico essa homenagem a todas as mulheres que são, foram ou serão donas de casa, as quais acumulam as funções de: mãe, baba, cozinheira, arrumadeira, passadeira, diarista, faxineira, etc. E olha que já vi dona de casa trabalhando de servente de pedreiro à psicologa da família.

Claudio Cortez Francisco
Enviado por Claudio Cortez Francisco em 08/05/2009
Reeditado em 04/01/2011
Código do texto: T1582482

Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Claudio Cortez Francisco
Limeira - São Paulo - Brasil, 55 anos
148 textos (31044 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 22/10/14 05:56)
Claudio Cortez Francisco



Rádio Poética