Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto
Para Ângela Lara
Jorge Sales

Acostumei-me aos versos de Ângela
Sempre que eu abria a Internet
Buscava seus lindos poemas
Chovessem até canivetes

Mas Ângela não escreve todo dia
Ângela cadê suas poesias ?

Ângela é como os pássaros
voa alto
Mas volta
(mesmo com os saltos).

***

Carta para Salete - 11/03/2002 
(Jorge Ribeiro Sales) 

Hoje é um dia de certa apreensão para mim.Não que isso, no caso, seja uma coisa negativa.Pelo contrário, falo com certa felicidade, que esta decorre da expectativa que tenho em relação ao nascimento de uma criança.Apesar da guerra que se avizinha neste ano de 1938,nascerá uma criança que, ao longo de sua vida acreditará num só Deus, O Amor.Durante todos os anos de sua vida desenvolverá uma ciência particular:A Prática do Amor.
Dona Abigail de uma só tacada nos dará belos poemas,a poesia em si,a Afrodite,a guerreira,a amiga, a cúmplice, a chorona, a amorosa, a Sal, o açúcar e o afeto.Quanto a mim,ficarei feliz 63 anos depois, por participar disso tudo e usufruir desta amizade que contribuirá para o meu crescimento pessoal e poético.
Amanhã será um dia especial.Viva o dia 12 de março de 1938.

***

Amiga Lilian Maial  
(Jorge Ribeiro Sales)

Minha querida Lílian Maial
Escrevo estas mal traçadas linhas
Falando nas entrelinhas
Hoje em pleno carnaval
De forma bem original
Que comigo estás em alta
Que eu sinto a tua falta
E quando você me escreveu
Eu fui até o apogeu
Meu coração quase salta

Vou indo como Deus quer
As crianças estão bem
Minha vida é um vai e vem
Mas eu tenho muita fé
Com a ajuda de Maomé
Tudo aqui vai melhorar
Eu colhi e vou plantar
É que nesta terça feira
Reencontrei minha parceira
Com a bênção de Oxalá

A tua chegada aqui
Foi um presente do céu
Tu és doce feito mel
Eu fiquei sempre a sorri
A primeira vez que te vi
Confesso Lílian Maial
De forma incondicional
Vou te encher de abraço
Até chegar ao cansaço
Em março na Bienal

Aqui encerro esta carta
Mando um abraço aos amigos
Aos novos e aos antigos
Daqui a pouco já é Quarta
E minha alegria é farta
De todas que conheci
Do Oiapoque ao Chuí
Poeta Lílian Maial
Amiga não leve a mal
Só tu eu nunca esqueci

PS:

Eu nunca vou esquecer
De Milene e de Maial
Esta dupla sensacional
Tem o dom de escrever
Ainda estou para ver
Uma dupla tão perfeita
Eu fico só na espreita
Lilian escreve muito bem
A Mil escreve também
E a gente se deleita 


***

Sal ,vá com Deus 
Jorge Sales

Vá Sal, vá com Deus
Precisavas de companhia
Vá se encontrar com os teus
Leva um presente aos anjos
A tua bela poesia
Que eles com os seus banjos
Farão uma festa no céu
Quem sabe algum menestrel
Em cores azuis de anil
Esteja lá a tua espera
Versarás em outras esferas
Com a dona Abigail

Vá minha querida Afrodite
A ti ofereço uma rosa
Vá Sal , chorona , amorosa
Deus te fez este convite
Porque era esta a hora
Quanto a mim fica a saudade
De minha Bela Senhora

Homenagem póstuma a grande poeta Olympia Salete Rodrigues 

***

Carta a Fernando Tanajura 
(Jorge Ribeiro Sales) 

Deus quis que fosses dois
Mas é como se fosses um
Um para aquele momento
Quando ainda eras criança
E outro para depois

Mas na verdade quem és?
Para os amigos és dez
Para o mundo és uns seis
Vais do espanhol ao inglês

É no idioma brasileiro
Que te sentes à vontade
És a própria liberdade
Mas te digo na verdade
Sem constrangimento algum
Quando caíste da cesta
Já eras o número um
Único e fecundo
Já te encontraste no mundo.

***

Decepção
(Jorge Ribeiro Sales)

Decepção
Está no inesperado
No desapoio do amigo
No passar para o outro lado

Decepção
Nos torna sempre inseguros
Desfaz nossos sonhos puros
Traz medo e principalmente
Machuca a alma da gente

Mas, mais que a decepção
É a tristeza sem fim
Adentrando ao coração
Fazendo morada em mim
E eu fico desolado
Como quem perdeu um amigo
Insatisfeito comigo
Por ter me decepcionado

***

Amiga do peito
(Jorge Ribeiro Sales)

Certo dia um anjo pediu
Que fosse no próximo poema
Não o tema ,mas a fonte
Fonte de inspiração
Passou a ser o meu lema
Fazer poesia de fundo
Do fundo do coração

Com o seu tipo doce
E sua maneira afável
Minha tarefa é fácil
E eu, num lance de sorte
Prestigio seu jeito frágil
Numa pessoa tão forte

Como um poeta quase leigo
Nesta condição me aconchego
Vivencio este anjo meigo
Num gesto quase perfeito
Confesso: te amo amiga do peito 


Jorge Sales, Além de um poeta e compositor sem igual, 
é o amigo que todos amam e que todos merecem ter...
É o amigo que liga e pergunta sobre o que está acontecendo
com a gente e ouve atentamente o que temos a dizer...
Jorge Sales, a pessoa bonita que Deus colocou no mundo
para nos trazer beleza e sinceridade... Obrigada, amigo!!!
Angela Lara
Enviado por Angela Lara em 21/07/2006
Reeditado em 19/04/2009
Código do texto: T198581
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Angela Lara
Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Brasil, 55 anos
1830 textos (247909 leituras)
53 e-livros (15732 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 10:51)
Angela Lara