Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A vida è curta.

No decorrer da existencia
Quanta coisa a gente vê
Mas è bom nunca dizer
Que jà viu de tudo na vida
E è preciso se ter conciencia
Que os dias nào são iguais
Passam e não voltam jamais
E muita coisa è esquecida
Outras porem na sbconciencia
Resolvem fazer morada
E causa uma saudade danada
Como recem acontecidas
E usando de coerencia
Eu me pus então a pensar
A Deus eu vou entregar
As coisas por mim vividas
Para suportar com paciencia
E amenizar o sofrimento
Sufocando assim o tormento
E não ter a alma dividida.

Em 2006 no dia 7 de agosto
O meu velho pai falecia
E juro atè então não conhecia
Aquela dor que eu senti
E não foi por nenhum desgosto
Pois fiz tudo o quanto podia
Foi cruel e duro este dia
Sentia ver o meu coração cair
Ali eu observei o oposto
Da vida que gente sonha
E nào foi por sentir vergonha
Que Chorar eu não consegui
Correu uma lagrima no meu rosto
Então a alma foi castigada
Meu Deus naquela caixa gelada
Era meu pai que estava ali
Na voz um embargo foi imposto
E me senti estarrecido
Com o coração dolorido
Mas quanta coisa eu aprendi.

Aprendi que a vida è tão curta
E que passa sem perceber
Lembrei que ouvi meu pai dizer
Nada se perde por ser direito
Feliz daquele que escuta
Um conselho de um experiente
E procura viver contente
Pois ser pobre não è defeito
Ore trabalhe e não discuta
Nem mostre os dentes ao patrão
Ame e respeite o seu irmão
E não tema o caminho estreito
Porque esta vida è uma luta
E não se deve desanimar
O desanimo sò vai piorar
E não lhe trarà nenhum proveito
E com certeza absoluta
Um homem não deve chorar
Mas se não der para segurar
Chore a noite quieto em seu leito.

Frases qoe o meu pai dizia
Sem nunca ter lido nada
Mas em 81 de jornada
Nunca vi um deslise seu
Uma coisa que não desistia
Era seu joguinho de baralho
Mas homem firme em seu trabalho
Da sua obrigação nunca esqueceu
Dinheiro nenhum pagaria
Os conselhos que me foram dados
Meu pai foi pobre porem honrado
Enquato ele viveu
Agradeço a Deus todo dia
Por ter tido como pai o seu João
Sei que foi um velho turrão
Mas o seu recado ele deu
È bem dificil pedir alegria
A minha mãe ainda sofre e chora
E então eu digo,dona Laura
O seu João foi morar là com Deus.
Pedro Nogueira
Enviado por Pedro Nogueira em 26/10/2006
Reeditado em 05/02/2008
Código do texto: T273774
Classificação de conteúdo: seguro

Copyright © 2006. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Pedro Nogueira
Campinas - São Paulo - Brasil, 63 anos
6223 textos (162984 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 00:26)
Pedro Nogueira