Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

O MENINO DE TODOS NÓS

Ele era um menino, apesar de seus 40 e poucos anos. Nos divertia, nos alegrava, nos enchia de esperança. Sabia fazer da vida seu principal objetivo, e estava sempre disposto a mudar o cotidiano de quem quer que fosse. Era muito sério, quando precisava, mas raramente usava desse artifício para conseguir alguma coisa. Sabia, com a displicência de uma criança, tocar o coração das pessoas com seu bom humor. E não raro conseguia aquilo que queria.

Ele nos fez enxergar o mundo de uma outra forma. Aprendemos com ele que a vida está aí, basta ser aproveitada. Aprendemos com ele a amar. Amar ao próximo, amar os animais, amar a natureza, amar a si próprio. Ahhh, e como amava esse menino. Amava sua família, seus amigos, seus sabores, seus dissabores. Amava, como quem não queria nada, simplesmente, amava.

Aproveitou cada minuto que lhe foi concedido, da sua maneira, do jeito que bem entendeu. Alguns não o entendiam, mas ele se compreendia. Com um coração enorme soube conduzir a própria vida para as alegrias que ele sabia que o esperavam. Sempre nos convidava a participar de seu mundo e nesse ponto nunca foi egoísta. Repartia, com cada um presente nos seus momentos, o bom humor que lhe era peculiar. Distribuía sorrisos e brincadeiras. Cativava os velhos, fazia admirar-se pelos mais novos, e todos, sem exceção, sabiam que ali se encontrava uma grande alma.

A vida é um piscar de olhos diante da eternidade que nos é apresentada todos os dias. Ele sabia disso, e por isso a aproveitou. Da sua maneira. Do seu modo. Do seu jeito. Sabia que algo muito grande estava destinado a ele. Sabia que Deus, em sua infinita sabedoria, o levaria para junto Dele, pois almas elevadas, como a desse menino, não merecem ficar muito tempo entre nós. Elas são livres e precisam da liberdade para fazer o bem onde quer que ele necessite chegar. E por isso foi posto junto a almas tão caridosas e benévolas. Deus sabe como agir nas horas que a humanidade mais necessita. Hoje ele é um anjo, que partiu desse mundo porque no corpo físico não poderia ficar junto de todos que amava ao mesmo tempo. Em forma de espírito, basta um pensamento e ele estará ao lado de quem o chamar. Ele está aqui, ele esta aí, basta senti-lo. E ele ama a todos nós. Infinitamente. Caridosamente. Humanamente. Sabe que nos encontraremos, felizes, em outro plano, com outros planos, mas com o mesmo amor que nos uniu.

Fique com Deus, menino bom. Sentimos sua falta, mas te amaremos pelo resto da eternidade. Agradecemos todos os dias por ter feito parte de nossas vidas. E agradecemos a Deus por permitir que ainda estejamos em contato, mesmo que em planos diferentes. Você é a alma que todo ser humano deveria ser. Você é o amor, em forma de anjo.


Em memória de Sebastião Manzali, nosso eterno menino. Nosso eterno amigo.


São Paulo, 01 de Dezembro de 2006.
Bruna Pattiê
Enviado por Bruna Pattiê em 01/12/2006
Reeditado em 03/08/2007
Código do texto: T306579

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (Cite o nome da autora - Bruna Pattiê). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Bruna Pattiê
São Paulo - São Paulo - Brasil, 34 anos
150 textos (12758 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 07:30)
Bruna Pattiê