Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

memória póstuma

        MEU PAI, NÃO SEI DIZER O QUANTO TE AMEI...
E AINDA AMAR-TE-EI, ETERNAMENTE.
NÃO SEI DIZER EM QUE LUGAR DIMENSIONAL VOCÊ ESTÁ. ACREDITE,
SINTO-O EM TODOS OS MOMENTOS.
        VOCÊ NÃO FOI TÃO SOMENTE AQUELE HOMEM QUE SE TORNOU PAI.COM SEU LÚCIDO OLHAR, VOCÊ ME FEZ VER NÃO SÓ O MUNDO COMO,TAMBÉM ENSINO-ME A AMAR.
        COM SUA CORAGEM DEU-ME A ESPERANÇA.
        COM SUA BONDADE ENSINO-ME A  TER FÉ.
SEI QUE VOCÊ ONDE ESTIVER, ESTARÁ  ACOMPANHANDO MEUS PASSO POIS SINTO-O. A TUA PRESENÇA ME ACALENTA NOS MEUS TORMENTOS.
          MEU PAI, UNIDO À MINHA ADORÁVEL MÃE SE TORNARAM UM PEDACINHO DE MIM OU, MELHOR,SOU UM PEDACINHO DE CADA UM DE VOCÊS. ACREDITO QUE ESTE PENSAMENTO POSSA ECOAR NO ESPAÇO E QUE VOCÊS OUÇAM MINHA VOZ QUE SE EXPULSA DO MEU CORAÇÃO COMO ONDA SONORA, E CHEGUE AOS TEUS PÉS PEDINDO-LHES SUAS BENÇÃOS.





Paello
Enviado por Paello em 11/08/2011
Código do texto: T3153218
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Paello
Cuiabá - Mato Grosso - Brasil
322 textos (6844 leituras)
1 áudios (108 audições)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 21/10/17 05:10)
Paello

Site do Escritor