Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Pablo Picasso fez das tintas, poesia colorida...

     Picasso quebrou todos os rótulos, violou convenções, humanizou a sua maneira, o direito de pintar o que lhe viesse na cabeça, muitas vezes atormentada pelos excessos da vida, personagem contraditório, quanto aos posicionamentos diante  da revolução e das guerras! Mas, soube como ninguém mostrar as atrocidades dos homens do seu tempo!
       Pablo Diego José Francisco de Paula Juan Nepomuceno María de los Remedios Cipriano de la Santísima Trinidad Ruiz y Picasso ou Pablo Picasso que Nasceu em 25/10/1881, em Málaga (Espanha), e morre em Mougins (França), em 08/04/1973, com 91 anos de idade. Pintor, desenhista, escultor, ceramista e escritor, adquire a notoriedade por volta de 1920.
       Guernica é um painel pintado por Pablo Picasso em 1937 por ocasião da Exposição Internacional de Paris esta tela pintada a óleo é normalmente tratada como representativa do bombardeio sofrido pela cidade espanhola de Guernica em 26 de abril de 1937 por aviões alemães, apoiando o ditador Francisco Franco. A pintura foi feita com o uso das cores preto e branco - algo que demonstrava o sentimento de repúdio do artista ao bombardeio da pequena cidade espanhola. Claramente em estilo cubista, Picasso retrata pessoas, animais e edifícios nascidos pelo intenso bombardeio da força aérea alemã (Luftwaffe), já sob o controle de Hitler, aliado de Francisco Franco.
       
                  Picasso escreveu poesia:
Deita fora todos os números não essenciais à tua sobrevivência.
Isso inclui idade, peso e altura.
Deixa o médico preocupar-se com eles.
É para isso que ele é pago.
Frequenta, de preferência, amigos alegres.
Os de "baixo astral" põem-te em baixo.
Continua aprendendo...
Aprende mais sobre computador, artesanato, jardinagem, qualquer coisa.
Não deixes o teu cérebro desocupado.
Uma mente sem uso é a oficina do diabo.
E o nome do diabo é Alzheimer.

Aprecia coisas simples.
Ri sempre, muito e alto.
Ri até perder o fôlego.
Lágrimas acontecem.
Aguenta, sofre e segue em frente.
A única pessoa que te acompanha a vida toda és tu mesmo.
Mantém-te vivo, enquanto vives!

Rodeia-te daquilo de que gostas:
Família, animais, lembranças, músicas, plantas, um hobby, o que for.
O teu lar é o teu refúgio.
Aproveita a tua saúde;
Se for boa, preserva-a.
Se está instável, melhora-a.
Se está abaixo desse nível, pede ajuda.
Não faças viagens de remorso.
Viaja para a cidade vizinha, para um país estrangeiro, mas não faças
viagens ao passado.
Diz a quem amas, que realmente os amas, em todas as
oportunidades.

E lembra-te sempre que:
A vida não é medida pelo número de vezes que respiraste, mas pelos momentos
Em que perdeste o fôlego:
De tanto rir...
De surpresa...
De êxtase...
De felicidade...                                PABLO PICASSO


Pequena bibliografia:

   Fundação Pablo Picasso (em espanhol)
Agência Lusa. Uol Notícias. Livro de poesias de Picasso revela outra faceta do artista. 23/10/2006
Museu Picasso – www.museupicasso.bcn.es
Ana Marly de Oliveira Jacobino
Enviado por Ana Marly de Oliveira Jacobino em 13/04/2012
Código do texto: T3610429

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre a autora
Ana Marly de Oliveira Jacobino
Piracicaba - São Paulo - Brasil
1833 textos (138186 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 27/11/14 23:20)
Ana Marly de Oliveira Jacobino



Rádio Poética