Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Marina .menina e anjo.

 Hoje gostava de escrever sobre um assunto diferente de uma recordação minha ,um momento escrito pelos dedos das Horas do meu passado.
Certamente muitos irão ler este meu pedaço de sentimento traduzido em prosa, muitos vão o sentir e outros não, (mas tudo isso são rosas meu senhor), como dizia a dona Isabel, Por isso não fico ofendido, apenas ignoro essas almas insensíveis.
Hoje quero falar sobre uma pessoa em especial, um ser que para mim devia lhe ter sido doado um par de asas quando nasceu, e desconfio que doaram, mas cortaram a nascença, só que isso não fez com que essa pessoa ficasse menos divina, até lhe deu coragem para a vida. Essa pessoa ,e por minha tristeza minha, sente-se triste por dentro e a tristeza dela também é a minha. No primordial da sua vida aconteceu-lhe um infortúnio, sim podia acontecer a qualquer um, mas não a ela ,não merecia e estou a ser o mais sincero possível. E para que essas mentes dos meus leitores não se transformem em labirintos á procura do nome dessa alma triste, direi com tantas palavras pode ter um poema, que o nome dela é Marina Lopes.
Marina tinha uma vida tal como ela desejava e sonhava, e estava prestes a ser alguém na vida, já o era, mas queria mesmo ter a certeza que o era, tipo a cereja no topo do bolo. Mas um dia alguém lhe roubou uma parte desse “bolo”.
  Muitos pensarão obviamente, (Mas quem e esse para falar de uma pessoa que ficou incapacitada físico e psicologicamente?), Puro engano, para muitos não sou nada, para ela era um grande amigo, e agradeço a este anjo, pois fez de mim o que sou hoje, uma pessoa melhor e mais corajosa.
Vou contar uma história verídica que entrou nas páginas da minha vida, e acho que merece ser lida pelos olhos de muitos.
Essa historia fala de um garoto que tinha descoberto a palavra amor, mas não sabia dar uso a ela, e este amava perdidamente alguém, que por sua vez, era amiga, mas não o achava mais que isso. Um dia essa pessoa que o garoto adorava deixou-o de rastos tendo se apaixonado por outrem.
Que tem isso a ver com a Marina? É essa a vossa questão…
Tem tudo a ver com ela.
Eu não falava com ela e nem a conhecia, apenas só dizia um olá risonho por passagem e nada mais. Mas um dia tudo foi diferente, eu era o tal garoto apaixonado, e estava triste sentado sobre a queda de um muro a olhar para o fruto da minha tristeza par de namorados, cuja minha paixão estava lá. Então e sem saber porque. E ainda hoje não sei. Eu ,cabisbaixo ,a contemplar as pequenas pedras que jaziam nos meus pés e admiro uma linda sombra que tapou a minha visão. Era ela, e perguntou-me:
-Porque estás triste?
Fiquei um tempo a olhar para ela pensativo e nada disse, mas ela sentia a minha tristeza, então desviei meu olhar em direcção a razão de tal mágoa.
E a Marina suspirou e perguntou:
- E por causa dela não é?
Meu coração queria sair da boca e eu questionava-me qual o motivo para ela querer saber da minha tristeza.
E não sendo mal-educado, respondi como um sim translúcido.
- Como ela existe muitas e tu mereces melhor.
Aquilo bateu-me no fundo. E ai apercebi-me, era um anjo a dizer-me aquilo.
Foi o início de uma amizade doce, falava todos os dias com ela, e com o passar do tempo, esquecera que a tristeza existia.
Adorava a Marina, ela era um sorriso para mim todos os dias que a via, era bela, inocente e inteligente e sei que ela gostava de mim, éramos como que irmãos.

Até que um dia veio o infortúnio e aconteceu o pior, Marina tinha sofrido um grave trauma, não sei usar outra palavra para explicar o que se passou, mas a partir daquele dia perdi metade daquilo que eu era antes daquilo acontecer.
Fiquei dias e meses triste por ela, não merecia mesmo, até roguei aos céus, mas nem céus e nem Deus responderam as minhas lacrimosas preces.
Um dia Marina recuperou do coma, mas não fiquei feliz, pois ela ficara num estado inanimado. Mas aos poucos recuperei a confiança na força dela e na sua vontade exterior e interior de viver. Sorri finalmente.
Desde o acidente, nunca mais falei com ela, pois não me sinto preparado para falar com ela, e ela que me perdoe. Sou uma pessoa muito sensível.
Mas quero a ajudar de uma maneira ou de outra, por isso peço a todos que leram este meu rascunho de sentimento único, ajudem a Marina a poder ir a Cuba. Ela merece mais que isso até.
E como amigo que (e sinto que ela ainda se lembra de mim), ainda sou só lhe desejo o melhor, por isso fiz esse poema para ela.



Teus olhos voam em direcção ao dia,
Como querendo beijar o seu azul
Tu, Marina, queres flutuar na maresia,
E poderes sentir a brisa magica do sul.

És fonte de mil sorrisos,
Foste rio que nunca secou,
Vives secretamente em mil paraísos,
 Ai o quanto meu coração te elogiou.


Só quero que sejas feliz,
Que pintes tua alma da cor da felicidade,
E poderes desenhar em ti, um sorriso.

E com a cor de verniz,
Quero pintar a alegria com caridade,
Para que tenhas tudo o que for preciso.



Obrigado Marina

Poeta Perdido
Enviado por Poeta Perdido em 04/11/2007
Código do texto: T723493

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Poeta Perdido
Portugal, 37 anos
27 textos (1017 leituras)
1 e-livros (29 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 16/08/17 23:40)
Poeta Perdido