Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

Poema de Baixo Calão... Cheio de Palavrão...[AlexMarq]

Inspirado em um poema de José Geraldo Martinez, intitulado: Puta que pariu!

O conteúdo dessa mensagem  é cheio de palavrões e recheado de escrachos.

Se atreveres a lê-lo, não responda enchendo o meu saco.



Poema de Baixo Calão... Cheio de Palavrão...
[ Alex Marq ]

Digo o que penso, sem medo nem pudores.
Falo do meu jeito, mesmo provocando algumas dores.

Há quem goste e quem admire.
Mas há quem rejeite e abomine.

Nunca sei, quando nem onde.
Para estes, resta-me dizer-lhes: Foda-se

O que digo pode lhe ser útil.
Tem gente que não me entende.
Tem gente que tem medo de gente.
Tem gente que não me compreende.
Tem gente que não fala palavrão...
E também não sabe ser decente.

Coloco as palavras como bem convir.
Dou meu recado em qualquer calão.
Não me diga como devo agir.
Minha letras expressam...
O que trago no coração.

Não sou santo nem beato...
Nem um maloqueiro caricato.
Usurpo a semântica das palavras...
Sem refino nem trato.

Não sou poeta, mas atrevo-me a poetar.
Nem sou palestrante, mas atrevo-me a falar.
Brinco com as frases e rimo sem querer.
Não sou Doutor, mas atrevo-me a querer saber.

Uso a palavra que me surge à mente...
Sem me preocupar se ela será decente.

Palavrão é cultura.
Derivada da criação "linha-dura"
Surgida da podridão dos sentimentos...
De quem teve que calar diante de seu lamento.

A revolta incontida do excluído.
A dor calada do atrevido..
A lágrima solta do incompreendido.

O palavrão é abominado, depravado e combatido.
Mas, que reflete nas mazelas do mundo, o seu real sentido.

Que vida de merda! Diz o revoltado.
Pra casa do caralho! É para onde vai o desorientado.
Da puta que pariu! É de onde surge o desmotivado.

Há quem me reprove...
Mas nenhum destes sentem as minhas dores.
Para estes, respondo um sonoro: Foda-se!

Sou feliz em ser assim em muitas vezes.
Ninguém mais no mundo desfutará os meus prazeres.

Mas tem gente que me combate.
Me escrevem dizendo muita bosta.
Para estes devo dizer:
Vá dar o cu para ver se você gosta!

Adequo-me a qualquer calão.
E dai? Eu falo palavrão.

Digo o que penso e o que eu sinto.
Sou apenas sincero.
Sei que as vezes exagero.
E, qual de nós que vez ou outra, nunca surta?
Ao contrário dos hipócritas do mundo....
Que não passam de grandes filhos da puta!

Amor e Alegria no coração.... Com ou sem palavrão!

( Alex Marq, 12 de abril de 2005 )
Alex Marq
Enviado por Alex Marq em 17/04/2005
Reeditado em 18/01/2009
Código do texto: T11787

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original ([por AlexMarq]). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Alex Marq
São Paulo - São Paulo - Brasil, 43 anos
79 textos (78172 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 14:44)
Alex Marq