Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

MODERNIZANDO AS RELIGIÕES (Leituras proibidas)

MODERNIZANDO AS RELIGIÕES
(Autor: Antonio Brás Constante)
 
Como a tendência do homem é sempre facilitar a vida, com suas crenças não seria diferente. Seguindo esta idéia, poderiam aparecer no futuro empresas especializadas em atender as demandas religiosas do ser humano.
        No ramo umbandista, desenvolveriam despachos práticos, feitos com caldo de galinha, milhopan e lanterninhas (substituindo as velas), que não se apagariam com os ventos fortes, ou com a chuva. Poderiam implementar o “teledespacho”, com um caboclo pai de santo do outro lado da linha, validando seu pedido e indo entrega-lo na encruzilhada de sua preferência.
Outra facilidade seria a confecção de kits básicos de despacho vendidos em mercados, com velas, cachaça, pipoca e caldo de galinha. Caso o cliente quisesse algo mais poderoso, poderia fazer uma encomenda sob medida, com direito a catalogo pela internet e reservas de encruzilhadas. Outra idéia seria a elaboração de despachos desidratados em forma de pílulas, bastando colocar o comprimido em uma esquina e adicionar uma gota de cachaça para que ele tomasse a forma do despacho tradicional.
No caso dos religiosos que acham que Deus é surdo, uma boa saída seria a buzina a ar “Deus é Amor”. Gritos seriam coisa do passado para atrair a atenção do divino. Com está buzina ele certamente apareceria no meio do culto, nem que fosse para reclamar do barulho.
As beatas contariam com uma equipe de decoradores, que deixariam suas casas parecidas com a paróquia que freqüentam. Outra opção seria a consultoria on-line, com dicas de como transformar aquele imprestável do seu marido, no padre dos seus sonhos.
Receberiam grátis, um cartão telefônico em forma de santinho, com o número das igrejas de sua cidade. Para que nos poucos momentos em que não estivessem por lá, pudessem ligar e continuar infernizando o coitado do padre.
Poderia ser implementado o “disque confessionário”, para que os fiéis conseguissem se confessar a qualquer hora e em qualquer lugar. No final da confissão, poderiam escolher a forma de penitência, digitando uma das seguintes opções sugeridas no celular: Penitência branda, para os pecadinhos do dia-a-dia. Penitência média para casos mais cabeludos, onde apenas um rosário de orações não seria suficiente. E penitência pesada, com direito a chicotadas para tirarem na marra os pecados do próprio corpo.
Na linha espírita, seriam promovidas sessões ministradas por funcionários fantasmas. Provando que principalmente os órgãos públicos são coisa de outro mundo.
Não seriam esquecidos nem os ateus, que acreditam que não acreditam em Deus. Para eles seriam desenvolvidos grupos de ateus anônimos, ajudando-os a se manterem firmes em sua falta de fé.
Para finalizar, antes de ser excomungado, amaldiçoado e exorcizado por todas as religiões, digo aos que crêem: Se mantenham firmes em suas crenças. Só não percam tempo acreditando em políticos, pois estes, assim como alguns escritores, não têm mais salvação.(SITE: www.abrasc.pop.com.br)
Antonio Brás Constante
Enviado por Antonio Brás Constante em 28/03/2006
Reeditado em 28/03/2006
Código do texto: T129750
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Antonio Brás Constante
Canoas - Rio Grande do Sul - Brasil, 100 anos
399 textos (85231 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 04/12/16 02:16)
Antonio Brás Constante