Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

A SENHA

No mesmo CPOR, havia um Cb mecânico, que tinha o apelido de “Lagarto”. Queria ver o homem furioso era chamá-lo pela alcunha. Sabedores disso, a recrutama, fazendo voz em falsete, se escondia pelos cantos do quartel, e matava o bicho, com o Cb que fulo, proferia toda a sorte de impropérios aos gozadores.
O Cb estava de serviço de Cb de Guarda, e na hora da revista, o Adjunto de Dia após as instruções de praxe, informou que a senha para aquela noite era “cobra” e a contra-senha “lagarto”.
Isto posto, o Adj. Sabatinou a Guarnição que estava perfilada.
_ Bem pessoal, qual é a senha?
_ Cobra, responderam em uníssono.
_ E a contra-senha?
_ O Cb da Guarda, respondeu um recruta.
_ Lagarto, é a puta que te pariu, recruta de merda.
Foi a muito custo para acalmar o Cb veio que espumava de raiva.

JOAO DE DEUS VIEIRA ALVES
Enviado por JOAO DE DEUS VIEIRA ALVES em 09/05/2006
Código do texto: T153227
Classificação de conteúdo: seguro
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
JOAO DE DEUS VIEIRA ALVES
Eldorado do Sul - Rio Grande do Sul - Brasil, 54 anos
216 textos (80580 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 10/12/16 14:59)
JOAO DE DEUS VIEIRA ALVES