Capa
Cadastro
Textos
Áudios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

OS GENROS DO COMPADRE DO MEU TIO

Um tio meu, cidadão cafundoense de reputação ilibada, vivia com a casa cheia... Na calçada de sua casa, à noite era uma festa. Aquele ajuntamento à procura de conselhos. Até o vigário, muitas vezes eu vi por lá. Diziam que o delegado antes de trancafiar alguém primeiro ouvia o velho.  Um matuto, pai de cinco mulherzinhas prenhadeiras que lhe deram dez netos e cinco genros, procura o tio para um desabafo. – O compadre me conhece há tempos e sabe que eu acordo cedo e durmo tarde para ganhar o pão. Mas tudo que ganho é pouco. As filhas, os netos, os genros, a patroa e eu, somamos vinte bocas para comer e beber e só meus braços para trabalhar. Continua lamentando.  Se o compadre souber, não me esconda, diga agora. Quais são os cinco piores moradores daqui?

 - Compadre isso eu não sei, respondeu o tio. E se soubesse não diria, pois não é do meu feitio apontar defeitos... Também não ganharia nada com isso. Como é do seu interesse, tenho certeza que o compadre trouxe a resposta da pergunta. Diga-me você, quais os cinco cabras ruins dos Cafundós?

 – O compadre parece que adivinha. Os cinco piores cafundoense são os maridos das... Eles comem do bom e do melhor, só bebem café fresco e água mineral gelada, andam arrumadinhos. Agora na hora de contribuir, dizem que seus bolsos estão furados.

 

 

Chiquimribeiro
Enviado por Chiquimribeiro em 12/05/2006
Reeditado em 13/03/2015
Código do texto: T154648
Classificação de conteúdo: seguro

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, criar obras derivadas, fazer uso comercial da obra, desde que seja dado crédito ao autor original.
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
Chiquimribeiro
Fortaleza - Ceará - Brasil
507 textos (70750 leituras)
(estatísticas atualizadas diariamente - última atualização em 08/12/16 14:30)
Chiquimribeiro