Capa
Cadastro
Textos
┴udios
Autores
Mural
Escrivaninha
Ajuda
Textos
Texto

ISSO ╔ QUE ╔ VERSO

Tabira, interior de Pernambuco, terra de poetas repentistas de primeira classe. Numa cantoria onde cantavam duas feras da época, Pinto e Lourival, estava ali presente uma figura assídua às cantorias conhecido como Onça. A principal característica dele era colocar defeito nos versos dos cantadores. Daquela vez era impossível fazê-lo, uma vez que estavam ali os melhores repentistas. Meu pai perguntou: e aí, Onça, que tal a cantoria? Ele disse: é...mais ou menos. Naquele instante ia passando uma mulher negra e Onça com seu preconceito deu o seguinte mote aos cantadores: NEGA DAQUELE JEITO/MEU CORAÇÃO NÃO ACEITA. Aquela foi a primeira vez que se ouviu Onça dar um mote e, portanto, todos ficaram surpresos e lhe rogaram que ele mesmo fizesse um verso. Depois de muito se esquivar, dando uma de poeta de categoria, atendeu a platéia ansiosa que, então, ouviu a seguinte obra prima da literatura de cordel. Atenção: veja que métrica e que exemplo de rimas!

Prefiro morrer de baque
Me acabar de serra abaixo
Cair de cima da igreja da matriz
Ou morrer afogado na lama do açude véi
MAS NEGA DAQUELE JEITO
MEU CORAÇÃO NÃO ACEITA.

Não precisa dizer que Onça foi quase apedrejado e virou sinônimo de "poeta sem rima". Detalhe: nunca mais apareceu numa cantoria.    
djalma marques
Enviado por djalma marques em 20/05/2006
Reeditado em 12/06/2006
Cˇdigo do texto: T159682
Enviar por e-mail
Denunciar

Comentários

Sobre o autor
djalma marques
Recife - Pernambuco - Brasil
67 textos (7455 leituras)
(estatÝsticas atualizadas diariamente - ˙ltima atualizašŃo em 09/12/16 11:45)
djalma marques